Skip to main content

Tag: mau hálito

Como saber se o dente precisa de tratamento de canal?

Ao notar mudança uniforme de tonalidade de um dente, sentir dor de dente ou ter sensibilidade com alimentos quentes ou gelados, procure o dentista prontamente, pois este fatores podem indicar que o dente necessita de tratamento de canal.

O tratamento de canal visa salvar um dente comprometido e evitar sua extração e implante dentario. Por isso, após sua recomendação, o ideal é que seja realizado o quanto antes.

Mas caso haja o comprometimento dental, e necessidade de extração e implantes dentarios, fique tranquilo, o tratamento com implantes atualmente é simples e na maioria dos casos rápido. Muitas vezes a cirurgia de extração e implante dentário pode ser realizada no mesmo dia.

Muitas vezes, o tratamento de canal é a única forma de salvar um dente

Os dentes são formados por tecidos duros e moles, ou seja, os dentes saudáveis são considerados tecidos vivos.

Entretanto, quando os nervos da polpa do dente (parte interna do dente), são danificados, quase sempre por lesão ou cárie, eles podem parar de fornecer sangue ao dente.

A falta de irrigação sanguínea e infecção profunda podem causar a morte do nervo e da polpa dentária, fazendo com que o dente se torne não vital necessitando de um tratamento de canal ou até mesmo de uma extração.

Saiba como identificar um dente morto e o que deve ser feito para não perder o dente.

tratamento de canal 49kb

Quais são os sinais de um dente morto?

Um dente morto é um dente que por algum motivo não está mais recebendo um novo suprimento de sangue.

A alteração da cor pode ser um dos primeiros sinais de um dente doente, quase sempre acompanhando também de dor nos dentes e gengiva.

Dentes saudáveis geralmente possuem um tom de branco, embora a cor possa variar dependendo da dieta e higiene bucal.

A mudança de cor para um tom amarelo, marrom claro, cinza ou até preto em um único dente pode indicar que ele está doente ou até mesmo morrendo.

Essa mudança de cor é uniforme, ou seja, ocorre em todo o dente e faz com que ele fique diferente de todos os outros dentes. A descoloração aumentará com o tempo, à medida que o dente decai e o nervo morre. Os outros sintomas que indicam a morte da polpa dentária são:

O que causa a morte da polpa?

Cárie profunda, lesão e trauma são as principais razões que levam a morte da polpa dentária.

O tempo que leva para o dente chegar a esse ponto varia de acordo com a causa. Se ocorrer por trauma ou acidente, o dente pode morrer rapidamente ou em questão de dias. Se for por cárie, pode ocorrer lentamente dentro de meses ou até anos.

Por isso é importante tratar a cárie ainda no começo, para que a infecção não atinja os tecidos internos do dente – dentina e polpa dentária.

carie tratamento canal 50kb

As cáries começam no esmalte, que é a camada protetora externa do dente. A falta de higiene bucal adequada e dietas ricas em açucares proliferam bactérias que liberam toxinas que causam desmineralização do esmalte dentário. É importante que se mantenha uma dieta rica em alimentos que fazem bem para os dentes.

A cárie degrada lentamente o esmalte e, sem o devido tratamento, alcança a polpa. Isso faz com que a polpa seja infectada por bactérias, o que corta o suprimento de sangue e, eventualmente, causa a sua morte. É comum sentir dor intensa assim que a cárie atingir a polpa.

Ao notar mudança de cor em um dente, dor de dente, sensibilidade, gengiva inchada ou vermelha, mancha branca e opaca no dente, buraco no dente, agende uma consulta com dentista. A cárie profunda é facilmente diagnosticada por meio de uma radiografia.

avanco carie perda dente implante 50kb

Como saber se o dente precisa de canal?

Ao diagnosticar uma cárie profunda com infecção da polpa dentária, ou polpa dentária doente por causa de trauma, na maioria dos casos o primeiro procedimento indicado é o tratamento de canal.

Essa é a medida mais eficiente para tentar manter o dente e não o extrair se o dentista avaliar que é possível manter esse dente.

O procedimento consiste na abertura do dente, remoção da polpa doente e retirada de todos os tecidos comprometidos.

Após a limpeza, os canais são preenchidos com material de obturação, e o dente fechado com resina composta da mesma cor dos dentes, ou até mesmo com restaurações de porcelana computadorizada, ou nos casos de grande destruição do dente será necessário instalar uma coroa de porcelana livre de metais para reconstruir o formato do dente.

Leia: Após o tratamento de canal, é melhor fazer uma restauração ou instalar uma coroa?

Leia: É possível extrair o dente e colocar implante no mesmo dia?

Como fica o dente após o tratamento de canal?

O dente com tratamento de canal foi mantido na boca, porém nunca será como um dente saudável. Ele pode ser mais frágil devido ao desgaste para retirada do tecido cariado.

Além disso, ele perde a hidratação natural da irrigação sanguínea que havia antes.

Por esse motivo as coroas geralmente são recomendadas para os dentes posteriores, pois são eles os mais exigidos para as funções mastigatórias.

Com a remoção do nervo, a pessoa geralmente não vai sentir incomodo neste dente. Porém, é importante seguir as recomendações do dentista para logo após a realização do procedimento a fim de evitar dor e desconforto, até que se complete a recuperação.

Após o canal é feita uma restauração ou núcleo e coroa?

Para os dentes do fundo da boca, quase sempre será necessário um núcleo intrarradicular, que exerce dessa forma, a função de reforço. Logo na sequência é elaborada uma coroa de porcelana ou zirconia, preferencialmente. Atualmente sabemos, a partir de estudos científicos dos tipos de coroas, que a Zirconia dental é o material de mais alta resistência para elaboração de coroas. Dessa forma, quando falamos em dentes posteriores, que exercem função intensa na mastigação, a coroa de zircônia pura é recomendada.

Nossa conduta clínica, ao realizar o tratamento de canal de um dente do fundo da boca, é evitar a resina simples para fechamento do canal, haja vista que, apesar de inicialmente parecer bonita, não possui a mesma resistência que uma coroa dental, e pode fraturar em pouco tempo.

Curiosidade: O especialista em tratamento de canal é o endodontista ( às vezes confundido por endodentista, ou canalista).

Tratamento de canal ou extração

Em casos de grande trauma ou destruição avançada das estruturas do dente por cárie, é possível que somente o tratamento de canal não seja suficiente para manter o dente.

Neste caso, será indicada a extração do dente. Mas isso não significa que a pessoa ficará sem dente, pois na maioria dos casos é possível colocar implante dentário e uma coroa fixa logo após a extração, desde que não haja muita infecção. Após a cicatrização do implante é realizada a coroa dentaria.

Como prevenir a morte da polpa dentária?

Praticar boa higiene oral, escovando os dentes 3 vezes ao dia e usando fio dental regularmente.

Consultar o dentista a cada 6 meses, e se necessário realizar uma limpeza profissional para evitar acumulo de placa e tártaro

A consulta regular também é importante para identificar os primeiros sinais da cárie que passam despercebidos para a maioria das pessoas

Manter uma dieta saudável, evitando alimentos ricos em açúcar. Também ingerir bastante água para manter a saliva adequada

Praticantes de esportes que elevam o risco de fraturas na região oral devem usar protetores bucais

Conclusão – Agende sua consulta na ImplArt Odontologia

Consulte nosso endodontista, caso note mudança de cor no dente, ou tenha dor e sensibilidade nos dentes. O tratamento precoce ajuda a prevenir complicações. Quando não tratada, a infecção de um dente pode afetar os outros dentes e as estruturas circundantes. A falta de cuidados bucais pode levar a perdas dentarias e implantes dentarios, por isso a importância de visitar regularmente o dentista. Caso tenha a indicação de implantes, consulta um implantodontista para que você tenha a melhor orientação para realização de seu implante dentário.

Portanto, ao detectar sinais de problemas dentários como mudança de cor, dor ou sensibilidade, é importante buscar atendimento odontológico imediatamente para realizar o tratamento de canal. Esse procedimento tem como objetivo preservar o dente comprometido e evitar a necessidade de extração e implante dentário. Sendo assim, é recomendado que o tratamento seja realizado o mais rápido possível após a indicação do dentista.

Estamos à disposição para atender você e orienta-lo em todas as etapas de seu tratamento dentário. Somos uma clinica dentaria que oferece tratamentos com alta tecnologia e conhecimento, sempre pensando em oferecer as melhores alternativas aos nossos pacientes.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Quais as causas e tratamentos possíveis para a retração gengival?

Se você notou que seus dentes parecem um pouco mais longos ou suas gengivas parecem estar se afastando, é provável que seja uma retração gengival. Ela ocorre por vários motivos, e a mais séria é a doença periodontal, também conhecida como doença gengival.

A retração gengival pode ser causada por escovação agressiva, falta de higiene bucal adequada, fatores genéticos ou até mesmo pelo envelhecimento. É importante tratar a retração gengival para evitar complicações, como sensibilidade dentária e maior suscetibilidade a cáries. Se você suspeita de retração gengival, é recomendado consultar nossa equipe de especialistas para avaliar a situação e determinar o melhor tratamento. Medidas preventivas, como escovação suave e uso de fio dental, também podem ajudar a prevenir a retração gengival.

Retração gengival o que é?

Embora não exista cura para a doença periodontal, é possível administrá-la. Em uma boca saudável, as gengivas são rosadas e a linha da gengiva é consistente e bem aderida ao redor de todos os dentes. Com a retração gengival, as gengivas geralmente parecem inflamadas.

A linha da gengiva também parece diminuída em torno de alguns dentes do que em outros. O tecido da gengiva se desgasta, deixando dessa forma o dente exposto.

A retração gengival pode ocorrer lentamente, por isso é importante avaliar as gengivas e dentes todos os dias. Se você notar gengivas recuadas e não visita o dentista há algum tempo, marque uma consulta.

Retrações gengivais podem revelar problemas graves nos dentes, com indicação de extração e implante dentário, principalmente quando associados a pús e inchaços grandes.

Curiosidade: Os pacientes algumas vezes se referem a retrações gengivais com outros termos populares como Retenção gengival, Retenção de osso, etc

Sintomas de retração das gengivas

Além de menor tecido gengival ao redor dos dentes, as gengivas retraídas geralmente resultam em:

  • Mau hálito
  • Gengiva inchada e vermelha
  • Um gosto ruim na boca
  • Dentes moles

Você também pode notar que sua mordida é diferente, sentir dor ou sensibilidade nas gengivas ou dentes. Uma das principais preocupações com as gengivas retraídas é que elas se tornam mais suscetíveis ao crescimento de bactérias. É por isso que exames dentários regulares e boa higiene bucal diária são essenciais.

retracao gengival 50kb
Retração gengival leve. Discreta exposição da raiz dos dentes, mas suficiente para causar um problema estético e sensibilidade dentária
retracao gengival avancada 50kb
Retração gengival avançada causada por uma doença periodontal. Grande exposição da raiz dos dentes. Acúmulo de placa bacteriana na raiz dentária e isso não é bom, porque a gengiva fica constantemente inflamada.

Causas da retração gengival

A recessão gengival pode ter muitas causas. A mais grave é a doença periodontal. Outras causas incluem:

  • Idade
  • Falta de higiene bucal (comum em pacientes depressivos, odontofóbicos)
  • Condições médicas, como por exemplo a diabetes
  • Escovação dental com muita força
  • doenças gengivais e periodontais
  • infecções intra-ósseas relacionadas aos dentes

Sua escova dental pode estar causando retração nas gengivas

Escovar os dentes com muita força é uma das grandes causas de retração gengival. Aqui estão algumas dicas para escovação dos dentes:

  • Use escova macia em vez de uma com cerdas duras
  • Seja gentil ao escovar. Deixe as cerdas fazerem o trabalho, não os músculos do braço.
  • Escove pelo menos duas vezes por dia, e pelo menos dois minutos em cada vez.

Outras causas de retração gengival

Causas adicionais de retração gengival incluem:

  • Traumas na boca. Por exemplo, piercing no lábio ou na língua frequentemente traumatizando o tecido da gengiva.
  • Fumo
  • Dentes não alinhados corretamente. Raízes dentárias proeminentes, dentes desalinhados ou músculos de fixação podem forçar o tecido gengival a se deslocar. Em geral é recomendado tratamento ortodôntico para alinhar os dentes.
  • Próteses parciais inadequadas.
  • Ranger os dentes enquanto dorme (bruxismo). Ranger e apertar pode colocar força excessiva nos dentes e causar retração gengival.
  • O histórico de uso de aparelho dental (ortodôntico) estão relacionados a retrações de gengiva, principalmente quando houve aplicação de grandes forças ou tratamentos longos.
  • Fraturas de dentes e raízes
  • Cistos e lesões internas no osso do maxilar
  • Alimentação inadequada que causa traumas aos dentes.

Diagnóstico de retração gengival

Com um simples exame clínico, o dentista detecta facilmente a recessão gengival durante uma consulta de rotina. Se você olhar atentamente para todos os seus dentes, também poderá notar a gengiva se afastando em um ou mais dentes.

A retração gengival tende a acontecer gradualmente. Você pode não notar diferença em suas gengivas de um dia para o outro, mas ao ir ao dentista duas vezes por ano, o dentista vai identificar se houve recessão durante esse período.

Regeneração e tratamento para retração gengival

A retração gengival não pode ser revertida espontaneamente.

Isso significa que o tecido gengival retraído e perdido não volta a crescer. No entanto, você pode evitar que o problema piore.

O tratamento geralmente depende da causa dos problemas gengivais. Se a causa for escovação severa ou falta de higiene dental, converse com seu dentista sobre como mudar seus hábitos de escovação e uso do fio dental. Usar um enxaguante bucal diário ajuda a combater a placa até mesmo em áreas difíceis. O uso de fio dental é certamente indicado para manter limpas as áreas de difícil acesso e entre os dentes.

A leve retração gengival aumenta o risco de formação de bactérias nas bolsas ao redor da área afetada. A doença gengival pode se desenvolver mais rapidamente onde existem outras doenças gengivais. No entanto, uma leve recessão não necessariamente coloca sua boca em risco aumentado de doença gengival.

Pode ser necessário um tratamento de limpeza profunda, chamada de raspagem e alisamento radicular para tratar a retração gengival. Durante a raspagem e alisamento radicular, o dentista irá limpar o tártaro e a placa bacteriana da superfície dos dentes e das raízes dos dentes.

Cirurgias para reverter a perda de gengiva

Se a retração gengival for grave, um procedimento denominado enxerto gengival pode restaurar o tecido gengival perdido. Este procedimento envolve retirar tecido gengival de algum outro lugar da boca e enxertá-lo ou anexá-lo a uma área que perdeu tecido gengival ao redor de um dente. Uma vez que a área cicatrize, ele pode proteger a raiz do dente exposta e restaurar uma aparência mais natural.

É importante salientar que essas cirurgias de aumento de gengiva tem baixo índice de sucesso e embora existam, muitas vezes não atingirão o resultado esperado.

Cirurgias de enxertia óssea são pouco efetivas para a regeneração de gengivas associadas a dentes.

Leia mais: reposição de dentes perdidos pela periodontite por implantes

Por que é importante tratar a retração gengival?

O recuo das gengivas pode afetar seu sorriso e aumentar o risco de doenças gengivais e dentes moles. Para retardar ou interromper a progressão da retração gengival, você terá que cuidar da sua saúde bucal. Consulte seu dentista duas vezes por ano, se possível. Siga as instruções do seu dentista sobre higiene oral adequada.

Se a sua recessão gengival for grave, você deve consultar um periodontista que é um especialista em doenças gengivais. Um periodontista pode falar sobre opções como enxerto de gengiva e outros tratamentos.

A exposição das raízes pode também causar problemas no próprio dente. A superfície radicular exposta na boca se caracteriza por um menor grau de mineralização quando comparado ao esmalte dentário (parte branca). Devido a sua menor resistência e maior porosidade poderá a raiz sofrer agressão de ácidos e bactérias da boca, sofrendo um desgaste chamado Abfração. A Abfração é um tipo de erosão química do cemento radicular muito comum.

retracao gengival e abfracao
Exemplo de lesão por abfração dental na raiz dentária exposta por retração gengival

O tratamento para a abfração normalmente é a restauração com resina composta. A restauração irá sobretudo proteger a estrutura dental e promove uma estética adequada.

Também em alguns casos é possível realizar lentes de contato dental ou coroas de porcelana em dentes com retração e abfração dental.

Conclusão: Dicas para prevenção de aumento de retração de gengiva

Procure ir voltar a nossa clínica ao menos duas vezes por ano, mesmo que cuide bem dos dentes e das gengivas. Quanto mais cedo você ou nossos dentistas puderem identificar os problemas em desenvolvimento, maior será a probabilidade de evitar que eles piorem.

Se você notar algum sinal de retração gengival, como sensibilidade dental ou exposição da raiz do dente, é importante procurar tratamento o mais rápido possível. Além disso, mantenha uma boa higiene bucal, escovando os dentes corretamente e usando fio dental diariamente. Evite o tabagismo e controle o estresse, pois ambos podem contribuir para a retração gengival. Por fim, tenha uma alimentação equilibrada e evite alimentos ácidos e açucarados, que podem prejudicar a saúde bucal.

Para dúvidas mais específicas fale conosco !

Escanear o código
Open Chat

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Gengiva inchada: o que pode ser?

Existem diferentes motivos que levam à uma gengiva inchada, sendo que alguns casos são acompanhados também por dores e sangramentos.

Além disso, a gengiva inchada pode ser um sinal de inflamação ou infecção na região bucal. É importante procurar atendimento odontológico para avaliação e tratamento adequado. A higiene bucal inadequada, como escovação e uso de fio dental irregulares, também pode contribuir para o inchaço da gengiva. Alguns problemas sistêmicos, como doenças autoimunes ou alterações hormonais, podem estar relacionados ao inchaço gengival. Para descobrir a causa específica e receber o tratamento apropriado, é essencial consultar um profissional de saúde bucal.

Gengiva inchada: o que pode ser?

Na ocorrência desses sintomas, as pessoas quase sempre os atribuem à uma gengivite, no entanto esta não é a única causa de gengiva inchada. Para descobrir o motivo do inchaço na gengiva pode ser necessária uma avaliação profissional do dentista. Conheça as causas mais comuns para inchaço na gengiva.

Sinais de inchaço na gengiva

A gengiva saudável possui aspecto rosado e textura lisa (ou no máximo semelhante à casca de laranja). A gengiva saudável também não sangra com facilidade. Enquanto que uma gengiva inchada pode sangrar durante uma simples escovação ou com o uso de fio dental, além de apresentar uma coloração avermelhada e aspecto flácido. Em casos relacionados a doença periodontal também pode haver dor e mau hálito.

Em alguns casos a gengiva pode também estar retraída, isto deixa a raiz exposta e o dente fica com aspecto mais longo.

gengiva inchada e sangrando
Imagem de uma Gengiva muito inchada por falta de escovação e falta de uso de fio dental. Nestes casos pode haver sangramento, dor e mau cheiro

Quais são as razões que levam a gengiva inchada?

Gengivite e periodontite – trata-se de uma inflamação local na gengiva e que ocorre como reação a infecção bacteriana (bactérias presentes na placa bacteriana e tártaro). É mais frequente quando a infecção está agravada pela periodontite (estágio avançado da doença gengival). A periodontite pode causar gengiva inchada com pus.

Higiene bucal inadequada – a escovação mal feita ou sem a frequência necessária favorece o acúmulo de biofilme, placa bacteriana ou tártaro na superfície dentária, especialmente na linha da gengiva.

falta de uso de fio dental também leva à essa condição de doença gengival. A atividade bacteriana nesta região causa irritação da gengiva, que por conseqüência ela pode inchar, sangrar e doer. Podem então aparecer doenças que levam à perda dos dentes.

Um clareamento dental recente também pode causar irritação e inchaço na gengiva.

retração gengival
Retração gengival e gengiva vermelha (inchada)

Uma gengiva vermelha não é considerada normal

Pericoronarite

inflamação da gengiva ao redor ou até sobre parte da coroa do dente que não foi irrompido completamente, normalmente o terceiro molar (inflamação no dente do siso). Essa condição dificulta a escovação e facilita o acumulo de partículas de alimentos. A atividade bacteriana irrita a gengiva que frequentemente fica inchada, sangra, dói e as vezes exala mau cheiro. A gengiva sobre parte da coroa do dente constantemente é machucada durante a escovação ou pelo dente superior.

Trauma

Má oclusão, escovar os dentes com muita força ou uso de aparelho ortodôntico são alguns motivos de traumas na gengiva.

Fumo/tabagismo

Este hábito além de fazer mal para a saúde em geral também tem grande impacto na saúde bucal. Pessoas que fumam estão mais suscetíveis a desenvolver problemas bucais, como por exemplo infecções que causam inchaço na gengiva, já que o fumo afeta a circulação sanguínea e a resposta do organismo contra infecções.

Lesões

A afta é a lesão mais comum. A afta é definida como uma lesão não contagiosa que surge na gengiva e a pessoa pode apresentar um inchaço bem localizado. Há ainda doenças como a GUNA (gengivite ulcerativa necrosante aguda) que podem causar inchaços na gengiva.

Alterações hormonais

A liberação de hormônios na puberdade, durante o período menstrual, na gravidez, na menopausa ou devido o uso de anticoncepcionais podem aumentar o fluxo sanguíneo nos tecidos e resultar em gengiva inchada.

Medicamentos

Alguns remédios utilizados para a convulsão (anticonvulsivantes) podem causar inchaços gengivais.

Próteses dentárias com defeito

Em alguns casos se uma prótese dentária tiver uma infiltração causada por uma cárie dentária por exemplo, pode favorecer a impactação de alimentos e dessa forma causar uma inflamação na gengiva.

inflamação prótese dentária
Inflamação gengival causada por prótese dentária defeituosa. Um degrau na coroa dentária de porcelana favoreceu o acúmulo de resíduos, causando inflamações permanentes.

Quimioterapia

Pessoas em tratamento contra o câncer e que estejam fazendo quimioterapia podem apresentar efeitos colaterais e incômodos na boca, entre eles inchaço gengival.

Tenho mau cheiro na gengiva o que pode ser ?

Um cheiro forte na gengiva pode ser resultado de várias condições, incluindo:

  • Higiene bucal inadequada: A falta de escovação regular dos dentes ou o uso inadequado do fio dental pode resultar no acúmulo de restos de alimentos na gengiva e entre os dentes, o que pode causar um odor desagradável.
  • Gengivite: Esta é uma inflamação da gengiva causada pelo acúmulo de placa bacteriana. A gengivite pode causar sintomas como vermelhidão, dor, sangramento ao escovar os dentes e mau hálito.
  • Periodontite: Esta é uma infecção mais grave que pode danificar os ossos e tecidos que sustentam os dentes. A periodontite pode causar mau hálito e um gosto desagradável na boca.
  • Abscessos dentários: Estes são bolsas de pus que se formam em torno da raiz do dente devido a uma infecção bacteriana. Os abscessos dentários podem causar dor intensa, inchaço e mau hálito.
  • Doenças sistêmicas: Algumas doenças, como diabetes e doenças do trato gastrointestinal, podem causar um cheiro diferente na boca.

Se você está percebendo um odor desagradável na gengiva, pode estar relacionado ao inchaço presente em algumas infecções, é o que vemos de mais comum entre nossos pacientes.

Tratamento para gengiva inchada

A conduta é diferente para cada caso. Se o inchaço for por causa de uma gengivite, é especialmente indicada uma limpeza profissional para remoção de focos de placa bacteriana e tártaro.

Quando o motivo for maus hábitos de higiene, a visita regular ao dentista é fundamental para identificação dos primeiros focos infecciosos. Portanto, o dentista pode fazer indicação de práticas e produtos adequados para melhorar a higiene bucal, assim como a realização de limpezas profissionais.

Entretanto, quando a doença gengival está no estágio de periodontite, é necessário acompanhamento profissional mais intensivo para dessa maneira evitar danos mais severos da gengiva e outras estruturas de suporte dos dentes. Pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico devem preferencialmente ter acompanhamento odontológico para minimizar os desconfortos bucais.

O hábito tabagista deve, se possível, ser abandonado de vez para evitar inchaço na gengival assim como outros problemas mais sérios na boca.

Conclusão: Busque tratamento

Observe que de qualquer forma, ao notar que sua gengiva está inchada e sangrando com facilidade, é recomendado que você procure o dentista para ele avaliar com cautela os motivos que estão levando a isso e dessa maneira indicar o tratamento adequado.

Uma infecção na boca pode também causar problemas no coração

Em caso de dúvidas sobre tratamentos com implantes dentários ou gengivais, então entre em contato com nossa clínica odontológica especializada através de um dos canais abaixo.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Fumar pode prejudicar os implantes dentários

O habito de fumar é um dos grandes inimigos da recuperação pós-cirúrgica de implantes dentários. O cigarro pode influenciar negativamente na reabilitação oral com implantes dentários, principalmente naqueles pacientes que fumam há muito tempo e/ou fumam durante o período pós operatório.

Implante dentário e cigarro combinam ?

A cirurgia de colocação de implantes, como qualquer cirurgia, exige que o paciente esteja em boas condições de saúde e tenha hábitos saudáveis para favorecer uma recuperação pós operatória tranquila. A saúde das gengivas, ossos e dentes remanescentes, uma boa alimentação e higienização oral adequada são algumas das condições que garantem uma rápida recuperação dos tecidos. As condições mais favoráveis para a colocação de implantes dentários são:

  • Volume ósseo satisfatório (para dar suporte inicial aos pinos de implantes)
  • Ausência de problemas de circulação sanguínea e outras doenças sistêmicas que comprometam a cicatrização
  • Ausência de doença periodontal.

Diversas pesquisas cientificas sobre este assunto já foram publicadas e mostram que fumar tem influência no sucesso do tratamento, bem como na redução da sobrevida dos implantes. Por esse motivo, a previsibilidade dos resultados do tratamento em pacientes fumantes é significativamente reduzida.

Doença periodontal é mais frequente em fumantes

Paciente fumantes são mais suscetíveis a desenvolver doença periodontal – doença que acomete os tecidos de suporte dos dentes. Isso ocorre porque o fumante tem uma alteração da flora bacteriana bucal, o que favorece o surgimento de cáries, doenças periodontais, mau hálito e em casos mais sérios, o câncer bucal. Em princípio, a doença periodontal dificulta a reabilitação com implantes dentários.

Isso porque aumenta o risco de infecções após a cirurgia e atrapalha a regeneração dos tecidos que dão suporte aos implantes. O sucesso da cicatrização dos implantes sem dúvida depende de uma boa circulação sanguínea. Ela tem importância na reparação e oxigenação celular e é responsável por “carregar” as células de formação óssea para a região do implante.

Circulação sanguínea na boca de pacientes que fumam

Fumar gera problemas circulatórios, porque o fumo causa vasoconstrição. Trata-se do estreitamento dos vasos sanguíneos, atrapalhado a correta função celular durante o processo cicatricial. No paciente fumante que necessita de enxerto ósseo complementar à reabilitação com implantes, as dificuldades podem ser ainda maiores.

O procedimento de enxerto ósseo, seja qual for a técnica, é um tratamento complexo. Necessita de boa irrigação sanguínea para que haja rápida e bem sucedida integração entre enxerto e tecido ósseo. Como citado anteriormente, o paciente fumante pode ter a circulação sanguínea prejudicada, e portanto, tem mais chance de ter infecções e a perda do enxerto colocado.

Leia mais sobre cirurgia de implantes dentários

Implante dentário: cuidados pós operatório de fumante

É necessário reiterar que, pacientes que fumam, devem ter consciência de que a previsibilidade do sucesso do tratamento com implantes dentários pode ser reduzida. Recomenda-se não fumar pelo menos 3 dias antes do procedimento cirúrgico bem como durante todo o período de cicatrização dos implantes (pelo menos 1 mês).

Se possível, a melhor conduta a se adotar é abandono definitivo do tabagismo. Não só pela saúde dos dentes remanescentes (se for o caso), mas também dos implantes, já que o fumo atinge os tecidos de suporte do implante e pode reduzir o seu tempo de vida. Se você ficou com alguma dúvida, entre em contato conosco através de um dos canais abaixo.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Como é realizado o implante dental?

Consulte o artigo a seguir se você gostaria de saber como é feito o implante dental.

A reabilitação oral com implante dental é um tratamento que pode mudar radicalmente a vida de pessoas que sofrem pela ausência de um ou mais dentes. Com implante dentario conseguimos conquistar uma estética natural, além de proporcionar conforto e bem estar aos pacientes. Portanto, trata-se de uma moderna solução, com cada vez mais recursos, para que dessa forma o paciente volte a se alimentar e sorrir sem preocupação. Atualmente, contamos com diversos tipos de implantes dentarios, capazes de tornar o tratamento com implante mais rápido, entre eles está o implante Suíço Slactive, da Straumann.

Implante dental e seu passo a passo

Além disso, devemos citar, também, o mais moderno implante dentário, o implante ceramico, ou implante de zirconia. Há duas versões, um da empresa suíça Straumann, e outro da nacional Neodent. Por não possuírem metal em sua composição, são muito indicados para pacientes com alergia a metais. Além disso, são muito utilizados em pacientes que simplesmente não querem a presença de metais em seu organismo.

Por isso resolvemos abordar as questões mais frequentes sobre implante dentario, e as respostas sob o meu ponto de vista e experiência profissional.

Após a cirurgia de implantes dentários feita dói muito?

Normalmente não dói fazer implantes. Sentir ou não sentir dor é relativo, pois depende de alguns fatores, como a técnica aplicada, a sensibilidade individual de cada paciente, entre outros.

Porém não é raro ouvir dos pacientes, depois que vários implantes são feitos em um mesmo dia, de que considerou o pós operatório tão tranquilo que nem parecia que tinham sido submetidos à uma cirurgia.

De qualquer forma, o cirurgião que realiza a colocação dos implantes receita analgésicos para serem tomados, caso necessário.

A cirurgia de implante dental é demorada?

Portanto, a duração para colocação de cada pino pode variar entre alguns minutos a 1 hora, de acordo com a complexidade do caso.

procedimento de implante dentario, implante dental
Como é feito? Procedimento de implante dentário: O pino de implante é colocado no osso e depois receberá uma prótese aparafusada

Quanto custa o implante dentário feito?

A colocação d implante dental é certamente uma técnica capaz de transformar a vida de uma pessoa. Seja aquela que usa dentaduras há muitos anos e por diversas vezes já sofreu com uma prótese mal adaptada que machuca.

São muitas histórias que já ouvi. Então, dizer que algo é caro ou barato é relativo. Tudo depende do que você busca e de como isso vai afetar positivamente a sua vida.

Além disso, a colocação de implantes dentários demanda o conhecimento e habilidade de profissionais que dedicaram seu tempo aos estudos (e continuam se dedicando ao longo da carreira) para dominar as técnicas que envolvem, não só a colocação, mas a estabilização e manutenção dos implantes ao longo dos anos.

O rosto fica inchado e a gengiva sangra depois de fazer a cirurgia de implante dental?

Normalmente não incha o rosto fazer implantes, mas o cirurgião orienta cada paciente sobre a melhor conduta caso isso ocorra.

fazer implante dentário
Após fazer o implante dental o paciente receberá um dente. Neste caso o implante é de zircônia e não de titânio.

Os implantes dentários uma vez feitos duram pra sempre?

Estudos recentes demonstram que implantes feitos de boa qualidade, que foram bem instalados em pacientes que fazem visitas regulares ao dentista, estão em função há mais de 40 anos em ótimas condições. Saiba que atualmente há diversos tipos de implantes dentarios, inclusive um que não tem metal em sua composição, trata-se do implante ceramico, da Straumann.

A osseintegração é a fase mais importante do tratamento com implantes dentários?

Sim. A osseointegração é literalmente a cicatrização inicial do implante. Um bom cirurgião só indica os implantes dentários principalmente quando constata que o organismo do paciente tem condições de fazer a osseointegração.

Ainda assim, existem casos que ela não ocorre como o esperado e o implante não se firma, sendo expelido. Mas até para estes casos existe solução, o tratamento apenas acaba sendo mais lento.

O organismo pode rejeitar o implante dental ou ele pode sair?

O que pode ocorrer na verdade não é uma rejeição do implante dental após feito, mas uma má integração do implante com osso. Isso pode ocorrer por diferentes motivos, inclusive por infecção ao redor do implante (periimplantite), sobrecarga ou alergia. Em todos esses casos o implante pode se soltar, devendo ser retirado do osso.

Quando um implante dental cai, não existe mais solução?

Depende do que levou à queda do implante dental. Na maioria dos casos de rejeição, o implante pode ser refeito depois de um determinado período de recuperação do osso da região, o que deve ocorrer após alguns meses. Porém em alguns casos o paciente pode fazer o implante na mesma hora da remoção. Importante saber que a chance de sucesso de um implante dentário é muito alta.

Implante dentário pode causar alergia?

Implantes dentários de boa procedência raramente causam alergia. Porém, os pacientes com alergia ao níquel devem informar seu cirurgião antes de iniciar o tratamento. Atualmente também existem implantes de cerâmica pura, livre de metais.

Como fazer implantes em pessoas com pouco volume ósseo?

Sim, existem implantes de diferentes tamanhos que atendem pessoas com razoável perda óssea. Em casos mais avançados, é possível reconstruir a estrutura com enxertos ósseos dentários. Cada caso e conduta são avaliados individualmente.

Hoje em dia existem formas de fazer planejamentos computadorizados de cirurgias implantológicas que nos ajudam muito a colocar implantes em casos difíceis.

De onde vem os materiais usados para fazer enxertos ósseos?

Existem diferentes técnicas para fazer o enxerto ósseo. Veja as principais:

Todos os materiais são analisados e submetidos a esterilização a fim de impedir contaminações e rejeições.

Como fazer o enxerto ósseo dentário? É um procedimento difícil?

Não necessariamente, os enxertos ósseos existem em variedade de tamanho e técnica. Em alguns casos são feitos em poucos minutos e são pequenos, em outros casos são maiores e podem representar um desafio, que deve ser avaliado pelo implantodontista.

Como é constatado se existe volume ósseo suficiente para o implante dental ?

Através da realização de uma tomografia computadorizada. É um exame radiológico de altíssima precisão e confiabilidade para medição das dimensões ósseas.

Qualquer pessoa pode fazer implante e carga imediata?

Não. A pessoa precisa ter volume ósseo suficiente e estar em boas condições de saúde. Portanto, pacientes fumantes, diabéticos e com bruxismo, por exemplo, inicialmente não são bons candidatos para a técnica de carga imediata, sendo melhor fazer o tratamento por partes.

Quando falta só um dente no fundo da boca é necessário fazer implante?

SIM! A realidade é que, quanto mais cedo for colocado um implante no local onde houve uma extração dentária, melhor. A falta de um dente pode causar um desequilíbrio em toda a arcada. Se o dente não for substituído logo, o organismo reabsorve o osso local, e essa perda óssea e o remodelamento gengival. Por conseqüência podem tornar a colocação de implante e prótese um pouco mais complicada no futuro.

Fazer o implante dental causa mau hálito?

Tudo depende da forma como o paciente cuida da higiene oral. Alguns tipos de implantes necessitam de um cuidado especial com a limpeza para evitar o acúmulo de resíduos alimentares. O cirurgião dá as orientações ao paciente de como ele deve realizar a higienização oral logo após a cirurgia e ao longo da vida.

Também é fundamental que o paciente retorne ao consultório de 6 em 6 meses (ou a critério do dentista) para realizar uma limpeza profissional. A prótese dentária também precisa de cuidados, assim como a dentição natural.

Implante dental é difícil de limpar?

Não é difícil, mas o paciente precisa se comprometer a manter uma higiene oral adequada, porque a saúde dos implantes também depende disso. Cada modelo de implante e prótese tem sua forma de higienização adequada. Existem até instrumentos exclusivos que auxiliam nesta tarefa. Também cabe ao cirurgião orientar seu paciente.

O que fazer se aparecer pus ou alguma secreção no local do implante?

Procurar o dentista que o colocou o quanto antes pois o pús pode não ser nada ou pode ser uma infecção no implante dental.

O que fazer se o implante ficar com mobilidade?

Se o implante dental estiver mole, procure o dentista que o colocou o quanto antes. Poderá ser o pino do implante mole ou poderá ser o dente que está se soltando apenas.

Fazer a prótese dentária sobre implante fica com aparência artificial?

Atualmente trabalhamos com materiais modernos que deixam as próteses cada vez mais parecidas com a dentição natural. Portanto ninguém fica obrigatoriamente dentuço com uma prótese sobre implantes.

É o caso, por exemplo, da prótese de porcelana dental com estrutura interna em zircônia branca. Esses materiais são bastante estéticos e comparáveis aos dentes na cor, textura e resistência.

Só existem implantes de titânio no mercado?

Não, também existem implantes de cerâmica branca (zircônia), especialmente indicados para a região anterior, quando a gengiva do paciente é muito fina ou quando o paciente tem alergia ao níquel.

Só existe um tamanho de implante?

Existe uma grande variedade de implantes com tamanhos e diâmetros diferentes para atender diferentes necessidades. Existem implantes dentais maiores, menores, mais finos e menores, mais grossos, mais longos, tudo depende do planejamento e finalidade.

quanto custa implante dentario
Como fazer um implante parecer um dente perfeito ? ajuda muito se estiver bem posicionado

Diabético pode fazer implantes?

Em princípio, o diabético é um paciente que temos que avaliar bem antes de fazer um implante dentário. Os implantes precisam de uma ótima cicatrização para se manterem firmes no lugar, e como sabemos, o paciente com diabetes não controlada tem dificuldade de fazer uma boa cicatrização em qualquer ocasião.

Fumante pode fazer implantes?

O fumo causa uma alteração na circulação sanguínea e, consequentemente, na oxigenação celular. Essa alteração pode dificultar a cicatrização dos implantes, portanto a incidência de problemas em fumantes é muito maior! Outros problemas que poderiam ocorrer devidos ao fumo:

  • Perda óssea decorrente da infecção periodontal
  • Comprometimentos estéticos, como dentes manchados
  • Maior chance de perder implantes por rejeição
  • Maior chance de infecção em enxertos ósseos

Portanto, o paciente fumante também precisa ser bem avaliado antes de uma cirurgia destas. Para a pessoa que pretende colocar implantes dentários, a melhor e mais urgente recomendação que posso dar é: não fume!

Qual a idade mínima para fazer os implantes?

A partir dos 17, 18 anos (que é quando a fase de crescimento ósseo termina), em princípio os implantes dentários já podem ser indicados. Porém antes de fazer o implante dentário é necessário verificar se o crescimento do jovem já parou.

Qualquer dentista pode fazer a cirurgia de implantes dentários?

O ideal é que a pessoa realize seus implantes com um Dentista especializado em Implantodontia. O Implantodontista é o especialista que dedicou pelo menos 3 anos a mais de estudos além da graduação de Odontologia, para dominar as técnicas de colocação, estabilização bem como manutenção de implantes dentários.

É possível fazer implante de todos os dentes, um a um?

Sim é possível fazer implante dentário um a um desde que as condições ósseas permitam, o que raramente ocorre. O mais comum é realizar uma prótese fixa suportada por alguns implantes, chamada prótese protocolo. Cada caso é avaliado individualmente.

É possível fazer implante dental em um local onde tinha infecção/periodontite?

Sim, é possível, desde que a infecção periodontal seja bem limpa e controlada para não prejudicar a cicatrização dos implantes. O controle pós operatório também é mais frequente com estes pacientes.

Se você tem mais alguma dúvida sobre este assunto, quanto custa implante dentário e prótese dentária, entre em contato conosco através de um dos canais abaixo.

Dr. Roberto Markarian

dr-roberto-markarian-msc-doutorado-em-curso-e-especialista_19566829191_m
PhD em Implantodontia, Especialista em Implantes e Próteses Dentárias – Coordenador Cientifico da Clínica ImplArt

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Aparelho autoligado estético – vantagens

O aparelho autoligado estético é um sistema de aparelho ortodôntico fixo de baixo atrito que possui um funcionamento diferente dos aparelhos ortodônticos convencionais.

Aparelho autoligado para tratamento ortodôntico mais rápidos e confortáveis

A característica mais importante neste sistema é que o aparelho autoligado não utiliza borrachinhas para prender o fio metálico aos bráquetes, responsáveis em exercer a força necessária para fazer o reposicionamento dos dentes. No aparelho autoligado, o fio corre livre dentro das canaletas dos bráquetes, portanto não há atrito.

Esse sistema não pode ser considerado melhor ou pior em relação aos aparelhos ortodônticos convencionais, pois tudo depende da indicação clínica de cada caso. O aparelho autoligado possui algumas vantagens e desvantagens em relação aos tratamentos convencionais. Veja a seguir: 

Vantagens

Mais conforto

O aparelho convencional precisa do uso de borrachinhas que prendem o fio metálico aos bráquetes. Isso gera uma fricção na movimentação do fio, que pode causar dor e desconforto ao paciente. No aparelho autoligado o fio corre livre dentro de pequenas canaletas em cada bráquete, portanto, não há nenhum tipo de fricção. Pacientes relatam mais conforto durante o tratamento com esse tipo de aparelho.

O tratamento pode ser mais rápido

Existem estudos e pesquisas que comprovam que o tratamento com aparelho autoligado é mais rápido em relação aos tratamentos convencionais. Os primeiros resultados já podem ser visualizados na fase inicial do tratamento. A não utilização das borrachinhas garante uma movimentação mais rápida, já que não há resistência de atrito.

Diferença do bráquete convencional para o bráquete autoligado. O bráquete convencional precisa de elásticos intraorais para prender o arco, enquanto que com o modelo autoligado o arco é preso por pequenas tampinhas.

Mais estético

Os aparelhos autoligados possuem um visual mais limpo, porque não possuem borrachinhas coloridas. Os bráquetes podem ser metálicos ou translúcidos, ficando quase imperceptíveis e favorecendo a estética dental.

Mais higiênico

Um dos inconvenientes de quem usa aparelho ortodôntico é por exemplo a necessidade de cuidados redobrados com a higienização oral. Já que as borrachinhas do aparelho podem acumular placa bacteriana, causando mau hálito ou outras doenças. Com o aparelho autoligado essa preocupação é bastante reduzida pela ausência de borrachinhas.

Saiba mais sobre tratamento ortodôntico.

Número de consultas reduzidas

O tratamento com aparelho autoligado estético não exige a mesma frequência de consultas para realizar ajustes de força no aparelho. Enquanto que o tratamento com aparelho convencional pode necessitar de visitas mensais, o aparelho autoligado é ajustado em média a cada 60 dias.

Sem extrações

Em alguns casos, o aparelho autoligado evita a necessidade de extrações. Essa possibilidade só é verificada logo depois de uma avaliação profissional de cada caso.

Eficiência

Em alguns casos o aparelho autoligado se mostra mais eficiente para se alcançar determinados resultados, como por exemplo, a expansão de arcada. Se você ainda ficou com alguma dúvida, então entre em contato conosco por um dos canais abaixo:

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Escanear o código