Skip to main content

Tag: perca óssea

Perda óssea dentária o que, como evitar, tem tratamento?

As principais causas da perda óssea dentária são falta de dentes sem reposição e doenças periodontais (inflamações e infecções na gengiva, ossos e dentes provocadas por bactérias da placa e tártaro que se aderem por higienização bucal insuficiente). A boa notícia é que os dentes perdidos podem ser repostos com a realização de implante dentario, seja ele implante unitário, implante parcial ou mesmo implante total. Nesse sentido, o implantodontista poderá orientar você sobre a melhor escolha de tratamento em sua consulta inicial.
Mas vamos entender primeiro que existem algumas razões para perda óssea dental (popularmente chamada de perca óssea por alguns pacientes). Vamos acompanhar a seguir.

Como ocorre a perda óssea dental por falta de dente?

Primeiramente, a arcada dentária é formada por várias estruturas e tecidos que suportam os dentes, como por exemplo ossos com diferentes densidades, gengivas, mucosas, ligamentos e músculos. A perda de um, alguns ou todos os dentes geram, dessa maneira, um desequilíbrio nessas estruturas, com retração gengival.

Nesse sentido, o osso e ligamentos que sustentavam os dentes perdidos, ficam sem função. Portanto, o organismo reage a isso reabsorvendo parte dessas estruturas. Por isso a perda óssea por falta de dente é chamada de reabsorção óssea.

A reabsorção óssea causada pela perda do dente ocorre progressivamente e a gengiva acompanha o novo formato ósseo gerando um formato defeituoso e inestético.

perda óssea dentária
Reabsorção óssea por falta de um dente: houve perda óssea na altura e na largura do rebordo, gerando um defeito ósseo e gengival.

A melhor forma de evitar o início e o avanço da perda óssea é repor o dente perdido por um dente protético que mais se assemelhe ao dente natural, que atualmente é o implante dentário. Ao inserir cirurgicamente o implante no osso, o organismo tende a manter o volume ósseo e não o reabsorver.

A falta de dentes compromete a saúde bucal e a estética do sorriso

Mudanças estruturais ocorrem quando falta dente, mesmo que seja apenas um, especialmente na arcada superior, já que o osso é mais poroso e reabsorve mais rápido. Os dentes vizinhos tendem a movimentar lateralmente por uma tentativa do organismo em preencher o espaço vazio.

blackspace doenca periodontal 50kb
Perda óssea avançada na arcada inferior evidencia exposição das raízes dentárias e acumulo bacteriana de placa nesta região, deslocamento lateralizado dos dentes centrais, retração gengival e perda dos arcos gengivais, surgimento de espaços negros entre os dentes (blackspace dental) que favorecem a retenção de alimentos.

Além de problema estético, também altera a oclusão dentária (problemas funcionais, musculo esquelético da face, articulações e prejudica a saúde bucal quando dificulta, por exemplo, a limpeza dos dentes. Dentes tortos tendem a reter mais alimentos e dificultar a passagem de fio dental e escova de dente.

O que seria afinal a perca óssea no maxilar?

perda óssea do maxilar é um termo correto para descrever a diminuição de osso na região do maxilar (perca óssea seria incorreto). Essa condição pode ocorrer por várias razões, como doenças periodontais, trauma ou outras condições médicas. A pessoa que perdeu posso tem uma redução e alteração no volume das estruturas do maxilar. O problema está no formato do osso porém gengiva que é um tecido fino de revestimento também acompanha a forma do relevo do osso, de forma que o paciente tem impressão as vezes de ter uma redução na gengiva, mas a causa original é no osso.

Perda óssea dental tratamento com implante dentário

O implante dentário pode ser colocado quando há uma relativa perda óssea. A técnica é realizada com enxerto ósseo, que pode ser colocado previamente ao implante (alguns meses antes) ou concomitante ao implante (na mesma cirurgia). Para saber qual é a melhor técnica para o seu caso, é necessário avaliar em consulta com o cirurgião dentista, especializado em implantodontia.

Imagens de radiografia panorâmicas evidenciam o ganho de volume ósseo vertical após o procedimento de enxerto ósseo para tratamento de perda óssea dentária. Acima, antes do enxerto. Abaixo depois do implante dentário e enxerto de osso.

Perda óssea dental causa por doença periodontal

A doença periodontal é uma das causas mais frequentes da perda óssea dentária. É uma condição inflamatória e infecciosa que acomete os tecidos de suporte dos dentes, entre eles o osso.

Esse quadro é iniciado e mantido por ação de bactérias que vivem na placa e tártaro, que nada mais são do que partículas alimentares aderidas nos dentes perto da linha da gengiva. Em nossa experiencia, esta é a causa mais comum de perda óssea ao redor de dentes.

As bactérias liberam toxinas que inflamam a gengiva constantemente (gengivite) e um quadro infeccioso que destrói o osso e ligamentos periodontais. Nesse caso, a perda óssea dentaria ocorre por infecção no osso e tecidos de suporte dos dentes.

Algumas pessoas têm mais tendência a desenvolver a doença periodontal do que outras, como por exemplo portadoras de diabetes. A recomendação geral para todas as pessoas é manter uma higienização oral adequada, escovando os dentes após as refeições, usando fio dental e enxaguante diariamente, e visitando o dentista regularmente. Essas são sem dúvida as melhores formas de evitar o acumulo de placa bacteriana e tártaro.

Sintomas de perda óssea dentária

Você pode estar com perda óssea dentária se perceber que:

  • Surgiu um espaço entre os dentes
  • Os dentes parecem mais compridos
  • A gengiva perdeu o formato natural (arcos e papilas)
  • A raiz do dente está aparecendo
  • Está com retração gengival e sensibilidade nos dentes
  • Está com impactação de alimentos entre os dentes
  • Tem um ou mais dentes moles
  • Há infecção, sangramento, placa bacterina ou tártaro perto da linha gengival
  • Sente a mordida diferente (má oclusão)

Outras razões da perda óssea dental

Tratamento ortodôntico prolongado ou mal conduzido

Aparelhos ortodônticos convencionais, que são esses que possuem elásticos, exigem do paciente especial atenção com a higiene bucal. Os acessórios do aparelho dificultam a escovação e fio dental e se não houver uma dedicação, há um acumulo de placa bacteriana.

Mas a principal causa de perda óssea relacionada a ortodontia é má condução do tratamento ou prolongação do tratamento. A aplicação errada de forças no aparelho pode levar uma reabsorção óssea.

A melhor forma de evitar isso é realizar o tratamento ortodôntico com um bom profissional especializado em Ortodontia.

Bruxismo

Hábito involuntário de ranger ou apertar excessivamente os dentes, principalmente durante o sono. Quadros severos de bruxismo causa danos as estruturas da dentição, entre as principais desgaste do esmalte dentário e perda óssea. O bruxismo pode e precisa ser tratado. Leia mais sobre tratamento do bruxismo.

Fumo e tabagismo em geral: a nicotina e outras substancias agridem constantemente os tecidos bucais, a vascularização e resposta contra infecções ficam prejudicadas, e o suporte dos dentes fragilizados. Por isso a chance de haver reabsorção do osso alveolar em fumantes é muito maior do que nas pessoas que não tem esse hábito.

Osteoporose / idade

Conforme a pessoa envelhece, há uma natural diminuição da atividade metabólica, redução da densidade do tecido ósseo em todo o corpo, inclusive regiões da face como a mandíbula e o maxilar.

Por isso a movimentação, mobilidade e perda de dentes é mais frequente nesta faixa etária.

A prevenção da osteoporose começa desde cedo, com a ingestão de alimentos ricos em cálcio, como por exemplo leite e derivados, peixe, banana, castanhas, entre outros.

Diabetes

O portador de diabetes descompensada prejudica a circulação e a resposta a infecções, por isso tem mais chances de desenvolver gengivite e doença periodontal, que como citado anteriormente causa perda óssea e a sustentação dos dentes.

Cisto

Lesões grandes provocam a expansão dos ossos maxilares, movimentação, levando a reabsorção das raízes dentárias e perda óssea. O osso se torna mais frágil e suscetível a fraturas, e os dentes com raiz reabsorvida podem necessita de extração.

Fratura radicular

Raiz dentária fraturada ou quebrada pode acontecer devido a um enfraquecimento da estrutura dental por cárie, infiltrações, perfuração do canal por técnica incorreta durante o tratamento de canal, acidente ou por sobrecarga excessiva sobre os dentes. A raiz fraturada favorece a migração de bactérias para a região óssea, e por consequência a perda óssea.

perda ossea raiz 50kb
Perda óssea em torno de um dente com raiz fraturada.

Por que é importante realizar o tratamento para perda óssea?

Como citado anteriormente, o osso maxilar é o grande responsável por suportar os dentes, e, portanto, a perda óssea favorece o surgimento de problemas como amolecimento ou perda dos dentes, exposição da raiz dentária – que deveria estar sempre protegida. A raiz dentária exposta deixa os dentes sensíveis e suscetíveis a infecções supra gengivais.

Se a causa do acúmulo de placa e tártaro nos dentes é a má oclusão, um tratamento ortodôntico para alinhar os dentes pode ser necessário.

A perda óssea é irreversível, ou seja, o tecido não é recomposto pelo organismo. Mas há recursos para evitar o avanço do problema, como por exemplo a eliminação de focos infecciosos por meio de uma limpeza profunda feita pelo dentista, que também pode prescrever antibióticos e realizar cirurgia gengival para fechar bolsas periodontais.

Enxerto ósseo para tratamento de perda óssea dental

As técnicas avançadas de enxerto ósseo têm solucionado, dessa maneira, muitos problemas de perda óssea dental, especialmente quando planeja a colocação de implantes dentários para repor dentes, por um implantodontista. Só para exemplificar, o enxerto pode ser proveniente de outras partes do corpo, bovino ou de material biosintético.

Para pequenos defeitos o enxerto pode ser granulado, também chamado de enxerto dentário em pó. Para grandes defeitos o enxerto em bloco pode ser indicado.

Enxerto ósseo granulado
Enxerto ósseo em bloco

Para arcada superior, a técnica de enxerto ósseo com levantamento de seio maxilar e técnica de summers decerto ajuda a ganhar volume ósseo em casos de perda óssea. Dessa forma, muitas vezes, é possível realizar o implante e o enxerto na mesma cirurgia. Saiba mais clicando sobre estas técnicas de implantodontia aqui.

Conclusão

A perda óssea dental pode ocorrer devido à doença periodontal, trauma ou falta de estímulo das raízes dos dentes. Esses fatores podem levar à reabsorção óssea e, consequentemente, à perda dos dentes. No entanto, com os implantes dentários, é possível repor os dentes perdidos e restaurar a função mastigatória e estética. Os implantes são inseridos no osso maxilar ou mandibular e fornecem suporte para as próteses dentárias. É importante consultar nossa equipe de implantodontistas para avaliar a viabilidade do implante e determinar o melhor plano de tratamento para o seu caso.

Acesso a nossa página especial sobre todas as técnicas de enxerto ósseo, ou fale conosco pelo WhatsApp (11) 3262-4750

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Reabilitação oral com coroas de porcelana individuais

A reabilitação oral individualizada em porcelana pode corrigir a estética e mastigação

O conceito da palavra reabilitar vem RE-HABILITAR, ou seja, tornar a pessoa capaz novamente de executar uma função. No caso da reabilitação oral estamos portanto nos referindo aos atos naturais que os dentes e da boca, e que nos capacitam para a funções normais (fisiológicas).

Quem precisa de um tratamento bucal reabilitador?

Em um paciente com a boca disfuncional (não-funcional) podem haver um ou mais fatores que em maior ou menor grau afetam as funções:

  • Mastigatória
  • Deglutição (engolir)
  • Dicção (a fala)
  • Respiração
  • Estética (não é função, mas pode estar afetada)

Por isso um tratamento reabilitador é diferente de um tratamento comum ou mais simples.

reconstrucao de dente fixa
Reabilitação oral completa usando implantes e uma prótese fixa

A reabilitação visa reconstruir a boca do paciente e devolver suas funções

Indicações para a reabilitação oral da boca

Portanto a necessidade de reabilitar melhor uma boca ocorre justamente quando ela perdeu suas características funcionais originais devido a:

A melhor técnica de reabilitação oral vai depender do tratamento final

A técnica indicada para resolver o caso clínico com reabilitação oral vai depender da necessidade específica que muda a cada paciente. Todavia há alguns pontos que são básicos e estabelecem a sequência do tratamento bucal passo a passo (POR PRIORIDADE):

1ª ETAPA

Remoção de focos de infecção: remoção de cáries, tratamento de gengiva, extração de raízes, tratamento de canal, extração de dentes muito mal posicionados, drenagem de pús, fixação de dentes muito moles, etc.

2ª ETAPA

Realização da preparação estrutural do caso: nesta etapa são instalados implantes dentários e são feitos enxertos ósseos e gengivais quando necessário. Em dentes naturais são colocados núcleos, e canais com lesões são retratados. Também melhoramos e corrigimos a mordida do paciente (oclusão) por meio de próteses provisórias. Como consequência a estética do paciente também melhora rapidamente.

3ª ETAPA

Reabilitação final completa: neste passo vamos fazer as próteses dentárias definitivas, sejam elas fixas em implantes dentários, ou prótese fixa em dentes. Se o planejamento final for com próteses móveis ou dentaduras elas serão feitas neste passo também. Nesta fase toda a mordida e estética do paciente tem que estar definidas.

4ª ETAPA

Refinamento estético: neste passo podemos fazer tratamentos estéticos adicionais (se necessário) como clareamento dental, restaurações em resina, facetas de porcelana, lentes de contato dental, recontorno em resina, enxertos gengivais complementares.

reabilitação oral superior dentes individuais porcelana 50kb
Reabilitação oral superior com dentes individuais usando implante dental e dentes naturais como apoio para coroas de porcelana individualizadas

Em reabilitações orais da boca toda, o cirurgião-dentista precisa usar técnicas avançadas de quase todas as especialidades odontológicas. Os tratamentos da boca toda são os mais exigentes para o cirurgião-dentista, exigindo conhecimentos profundos sobre todas as áreas da Odontologia. Por isso só faça uma reabilitação oral com um cirurgião dentista experiente. Nosso coordenador clínico o especialista Dr Markarian tem a experiência de mais de 10.000 implantes instalados e milhares de reabilitações orais concluídas.

Especialidades da Odontologia envolvidas nas reabilitações orais individuais

Não existe por enquanto a especialidade de reabilitação oral na odontologia. Porém é importante que o dentista tenha experiência em reabilitações e de preferência tenha um laboratório de prótese dentária na clínica. Veja as principais áreas envolvidas em uma reabilitação oral bem feita:

  • Oclusão (mordida)
  • ATM (articulação da boca)
  • Implantodontia (implantes dentários)
  • Prótese dentária – próteses fixas e removíveis
  • Endodontia (tratamento de canal)
  • Periodontia – saúde das gengivas
  • Cirurgia-Oral
  • Dentística – Restaurações e estética
  • Odontologia Digital (no caso de nossa clínica é um diferencial)

O implante total com dentes (coroas) individualizados é uma técnica que fixa uma coroa para cada um dos implantes distribuídos por toda arcada.

Coroas de porcelana individualizadas para reabilitação oral completa. Na ImplArt são elaboradas com técnicas digitais para maior rapidez, eficiência e qualidade em sistema DayClinic. A principal indicação para o tratamento com implante de todos os dentes individualizados é quando o paciente perdeu ou está perdendo todos os dentes.

Fazer dentes individuais sobre implante em todos os dentes é uma técnica muito avançada da implantodontia e da reabilitação oral. Entretanto sua indicação e viabilidade precisam ser bem examinadas para determinar se a pessoa é uma boa candidata para implante de todos os dentes individualizados. Em princípio, os requisitos básicos para fazer implantes individualizados são:

  • Quantidade óssea abundante (ausência de perda óssea)
  • Quantidade de gengiva preservada em relação à uma dentição natural
  • Em um sorriso aberto o paciente não pode mostrar a gengiva
Prótese dentária fixa em porcelana estética (zircônia translúcida), para todos os dentes

A perda óssea e de gengiva dificultam as reabilitações funcionais da boca. A perda óssea e o remodelamento gengival ocorrem por conseqüência da perda dos dentes. O remodelamento da gengiva leva a perda do formato dos arcos que caracterizam a dentição natural. O resultado do aspecto gengival de um tratamento com implante de todos os dentes individualizados é certamente diferente de uma gengiva com dentição natural. Nos casos de sorriso muito aberto, seria necessário realizar uma prótese com uma camada de gengiva artificial para simular o aspecto de uma gengiva normal.

Leia mais sobre caracterização de gengiva em próteses.

Dúvidas frequentes sobre uma reconstrução de dentes:

Posso fazer um enxerto de osso ou de gengiva para aumentar primeiro o volume de osso/gengiva para permitir um Implante de todos os dentes individualizados?

Sim, porém mesmo que haja um ganho de volume desses tecidos, o formato da gengiva não será igual ao de uma dentição natural (formato de arco).

Quais as contraindicações de implante de todos os dentes individualizados?

Basicamente são estes abaixo:

  • Sorriso muito aberto e que exibe a gengiva
  • Perdas ósseas em espessura ou altura
  • Defeitos gengivais

Nesses casos, a estética dos dentes não ficaria boa utilizando implantes um a um.

Considerações sobre reabilitação oral com implantes individualizados

Em virtude de perda óssea que ocorre após a perda dos dentes, o mais comum é que o paciente não consiga realizar um implante de todos os dentes individualizados. Entretanto, pode-se recorrer a um caso muito mais simples e que traz excelentes resultados, que é o implante total com menos implantes distribuídos e uma prótese fixa da arcada completa.

A prótese pode ou não ter uma camada de gengiva para dessa maneira simular o aspecto de dentes naturais, mas a aplicação depende do caso. Muitos pacientes relutam a ideia de usar gengiva artificial em suas próteses, porque acha a aparência como de uma dentadura. Entretanto, com o avanço das técnicas e dos materiais utilizados, a gengiva artificial da prótese consegue reproduzir a estética e a naturalidade de uma gengiva natural. Os tipos de próteses para implante total são:

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

#Coroadeporcelana #metalfree #dentalcrowns #emax #odontologiarobotica #odontologiacomputadorizada #dentalscan #scannerdental #3shape #odontologia3d #dentista #odonto #dentalstudent #fluxodigital #kapanu #ivoclar #planejamentododsorriso #smiledesign

Qual o melhor material para enxertos ósseos dentários

Qual o melhor material para o enxerto ósseo? Esta é uma pergunta frequente dos pacientes que precisam realizar enxertos ósseos dentários. Os materiais para enxertos também chamados de Biomateriais, podem ser utilizados em várias apresentações, conforme a indicação do caso.

Existem diferentes tipos de materiais que podem ser utilizados para enxerto ósseo, como os enxertos autógenos, que são retirados do próprio paciente, os enxertos aloplásticos, que são materiais sintéticos, e os enxertos xenógenos, que são de origem animal. Cada um desses materiais tem suas vantagens e desvantagens, e a escolha do melhor material vai depender das características e necessidades de cada paciente. É importante que a decisão seja feita em conjunto com o cirurgião dentista, levando em consideração fatores como o tempo de recuperação, a taxa de sucesso do procedimento e a disponibilidade do material.

Em primeiro lugar: para que servem os materiais de enxertos ósseos?

Primeiramente para ter a indicação de um enxerto ósseo na boca, precisamos ter áreas que precisam aumento ou manutenção do volume de osso, preparatório a um implante dental:

enxertos ósseos materiais
O enxerto em ósseo industrializado em geral vêm em grânulos como neste exemplo de biomaterial derivado de osso bovino.

Como são aplicados os materiais de enxerto ósseo

A aplicação ou instalação do enxerto sempre ocorrerá por meio de uma cirurgia bucal que poderá ser concomitante (ou não) com outros eventos como uma extração dentária ou processo de implante dentário.

Isto também quer dizer que um enxerto no osso pode ser de tamanhos variáveis desde um procedimento mínimo e imperceptível a uma cirurgia grande e exclusiva. Tudo vai depender da indicação de cada caso e da melhor técnica, o que precisa ser avaliado pelo especialista em implantodontia.

Diferentes apresentações de materiais para enxerto ósseo, blocos, fragmentos, pó, grânulos. A indicação clínica e a preferência do cirurgião irão ditar a escolha.

Qual o especialista que faz enxerto ósseo?

Tecnicamente qualquer dentista poderia realizar o procedimento de enxertia, porém há especialistas mais treinados para tal procedimento.

  • Implantodontistas: o implantodontista é o especialista em implantes bucais. A formação de um implantodontista contempla planejamento protético e cirúrgico dos implantes, enxertos e da prótese ao mesmo tempo.
  • Cirurgiões buco-maxilares: os bucomaxilofaciais são dentistas treinados para fazer cirurgias na face, desde uma extração simples a fraturas na face.

Enquanto que tanto implantodontistas e buco-maxilos podem fazer enxertos ósseos com perícia, há uma tendência de que os implantodontistas façam cirurgias menores, atraumáticas e menos invasivas. Já os bucomaxilos em geral realizam grandes cirurgias com campo aberto e mais invasivas. Em nossa clínica os enxertos ósseos para implante dentário são feitos por Implantodontistas, enquanto que os enxertos após extrações de dentes inclusos por exemplo são feito por cirurgiões bucomaxilofaciais.

Enxerto ósseo colocado logo após a extração. Adicionalmente para fechar o orifício pode-se posicionar uma membrana de colágeno ou um enxerto de gengiva.

Fazer uma enxertia no osso bucal pode ser tão simples como aplicar um osso granulado sobre a região afetada, depende de cada caso, mas tentaremos usar a técnica mais simplificada possível.

Quais são os materiais disponíveis para enxerto ósseo dentário?

Os materiais mais comumente utilizados para realizar enxertos são: Enxerto autógeno (retirado da própria pessoa), o alógeno (banco de ósseos), liofilizado em pó (matriz mineral bovina) e sintético (desenvolvido em laboratório).

Os materiais de enxerto ósseo podem ser utilizados puros ou misturados entre si. É comum utilizar a mistura de um biomaterial com um pouco de osso do próprio paciente para aumentar a compatibilidade.

Em algumas situações podem ser utilizados junto com os enxertos ósseos, agregados planetários extraídos do sangue do paciente no momento da cirurgia como o PRF (plasma rico em fibrina), proteínas formadoras de osso (BMP).

Comparativamente qual o melhor material para um enxerto ósseo?

O osso autógeno é melhor em quase todos os aspectos científicos como taxas de sucesso e menor rejeição pelo corpo. Apresenta porém maior complexidade cirúrgica e maior tempo maior de recuperação, pois requer duas cirurgias a da região doadora e a receptora.

O osso humano proveniente de banco de tecidos também apresenta boa aceitação como material de enxerto, trata-se de um transplante ósseo. Os biomateriais por outro lado requerem apenas uma cirurgia com a aplicação direta do material de enxerto no local indicado.

Por esse motivo, os biomateriais para enxertos ósseos vem tendo preferência e estão evoluindo para que tenham cada vez mais sucesso e aplicabilidade.

Um enxerto para ganho de osso verticalmente (para cima) pode ser feito com um bloco vertical. O material para este tipo de enxerto pode ser osso autógeno (da própria pessoa) , osso de banco de tecidos (humano), blocos sintéticos, e mais recentemente o bloco de enxerto projetado em 3D (impressão)

Qual enxerto pode ser utilizado em pequenos defeitos ou nos grandes?

Em cirurgias de levantamento seio pode ser utilizado o enxerto em pó ou então um bloco de osso pode ser triturado para ser melhor adaptado. Em casos de defeitos maiores é necessário utilizar implantes dentários e enxertos em blocos. O enxerto em pó ou grânulos pode ser usado para preencher pequenos defeitos como ou com telas de titânio.

Quanto custa um enxerto ósseo? É possível estimar preço e valores de materiais?

Não é possível estimar custos de tratamentos com enxertos sem antes de mais nada realizar um exame clínico apurado, onde serão verificados exames complementares como por exemplo a tomografia computadorizada, radiografia panorâmica bem como exames da saúde geral do paciente.

Casos mais simples podem ser realizados em consultório, porém casos mais complexos requerem cirurgias maiores, sedação ou anestesia geral e internação hospitalar. Como consequência há aumentos nos honorários e custos de tratamentos.

O paciente não deve fumar após realizar um enxerto ósseo ou um implante dentário.

Posso fazer meu enxerto ósseo com sedação?

Quase todos os tratamentos podem ser realizados sob sedação. Em nossa prática, verificamos que o óxido nitroso não é eficiente para acalmar o paciente por completo. Portanto preconizamos sedação em hospital dia, pois é possível realizar uma sedação mais profunda (semelhante a uma endoscopia), na qual o paciente tem um ótimo conforto. Tanto a sedação ou anestesia geral requerem internação por 1 dia somente. É necessário companhia para deixar o hospital normalmente.

Como é a sequência de tratamento de enxerto? Vou ficar sem o dente?

A solução com enxertos grandes exige várias etapas de tratamento:

1 – Remoção do dente comprometido – e posterior espera da cicatrização da região naturalmente por 1 mês no mínimo. Utilização de prótese provisória.
2 – Realização do enxerto – precisa ser avaliada a quantidade óssea que a região irá precisar. Isto implica na seleção da área doadora por exemplo. Espera entre 6 e 9 meses
3 – Realização de implante – espera de 3 meses para osseointegração
4 – Realização da prótese dentária

Porém em alguns casos é possível fazer tanto o implante dental quando o enxerto no mesmo momento! Esta diferença grande nos procedimentos depende de cada caso e precisa ser analisada pelo especialista.

Conclusões

O processo de reabilitação oral pode envolver diversas etapas, dependendo das necessidades individuais de cada paciente. Uma das etapas pode ser a utilização de uma prótese provisória durante o enxerto ósseo. Após essa fase, é avaliada a quantidade de osso necessária para o enxerto, incluindo a seleção da área doadora. Em seguida, é realizada a etapa de implantação, onde é necessário aguardar cerca de 3 meses para que ocorra a osseointegração. No entanto, em alguns casos, é possível realizar o implante e o enxerto simultaneamente, mas essa decisão depende da avaliação do especialista.

É importante ressaltar que todos os procedimentos estão sujeitos a riscos de insucesso variáveis. Naturalmente, trabalhamos com as mais recentes técnicas para minimizar os riscos. Caso você tenha outras dúvidas sobre os enxertos ósseos dentários, valor e mais tratamentos odontológicos fale conosco.

Veja mais em www.implart.com.br

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Enxerto ósseo para implante dentário: quando fazer?

Sempre que um dente é perdido, o osso que se encontrava ao redor do dente é reabsorvido, esse processo de reabsorção óssea ou atrofia. Essa atrofia torna o osso progressivamente mais fino, tornando a colocação do implante quase que impossível. A não ser que seja recriado o osso com um enxerto ósseo.

Ouça ao Dr. Markarian, especialista em enxerto ósseo para implante dentário

Enxerto ósseo para implante dentário por que é necessário?

Existem casos que estes dentes foram perdidos há muitos anos, o que torna necessário a realização de um procedimento para recriar o osso perdido. Isso é denominado enxerto ósseo. Uma prótese dentária de transição deverá ser planejada para que o paciente não fique sem os dentes durante o tratamento.

tomografia mostra perda óssea avançada verticalmente por falta de todos os dentes da arcada dentária superior
O osso da arcada dentária sofre grande atrofia quando há falta de dentes por muito tempo. Observe o avanço da perda óssea do maxilar por falta de todos os dentes da arcada.
tomografia arcada dentaria mostra perda ossea avançada em quem perdeu todos os dentes
Comparação de perda óssea (em espessura) entre uma arcada dentária com dentes e uma arcada sem dentes.

De onde vem o osso para fazer o enxerto ósseo dentário?

O melhor material para enxerto ósseo dentário, que apresenta os melhores resultados é o osso do próprio paciente. É obtido, por exemplo, durante a preparação do orifício do implante. Todavia mais modernamente os enxertos ósseos podem ser realizados com material sintético. A vantagem dos materiais artificiais é de não necessitarem remover o osso do próprio paciente e com isso diminuem a morbidade do procedimento.

Grânulos de osso bovino liofilizado utilizado para enxerto ósseo dentário

Em uma cirurgia de enxertia óssea com material sintético, o cirurgião se concentra apenas na área do enxerto ósseo e não mais em uma área doadora de osso.

Os chamados biomateriais para enxertos ósseos dentários evoluíram muito em termos de biocompatibilidade (afinidade com o corpo humano e baixo índice de alergias e rejeição).

O biomaterial atual para a enxertia dos ossos da boca tem um alto grau de conversão em osso e alta previsibilidade, o que pode ser encontrado em materiais tanto brasileiros como importados, com grandes vantagens para os importados.

Os grânulos de osso bovino liofilizado são bons materiais para enxertos ósseos. Não se trata do osso bovino bruto mas sim de um cristal de hidroxiapatita obtido do osso bovino que é tratado por química e temperatura para atingir seu estado comercial final.

enxerto ósseo dentário em pó
Enxerto ósseo dentário bovino em grânulos brancos pronto para o uso na cirurgia de enxertia

O enxerto ósseo para a boca é complicado?

Tudo depende do tipo de enxerto ósseo dentário necessário que pode ser algo bem pequeno ou também uma cirurgia maior.

  • Enxerto ósseo de complexidade menor: São aqueles para pequenas ausências de osso, ou para complementar o volume de osso logo após uma extração dentária e implante dental, por exemplo. Caso não seja feita a enxertia simultânea a gengiva da região pode murchar e o futuro dente vai ficar maior do que o ideal. Em geral para pequenos enxertos usamos os grânulos ou pó de osso bovino que são práticos de usar e tem um excelente resultado e custo / benefício.
  • Enxertos ósseos de tamanho médio: entre enxertos médios podemos exemplificar como o enxerto do maxilar superior posterior (do fundo da boca), também chamado de levantamento do seio maxilar, elevação da membrana do seio maxilar, sinus lift, enxerto de Summers.

Enxertos ósseos regionais também tem complexidade mediana e são indicados para atrofias severas de um segmento (horizontal ou vertical). Esses casos podem ser resolvidos com técnicas de enxertos em blocos ou telas de titânio.

Outros casos envolvem regiões menores como um ou dois dentes que tem como causa infecções dentarias localizadas ou perdas ósseas / dentárias antigas.

  • Enxertia de osso grande: em casos de grandes perdas ósseas como por exemplo em uma arcada dentária inteira, podem ser considerados enxertos grandes.

Como precisamos de muito material em enxertias grandes (para todos os dentes), utilizamos como área doadora o osso da bacia, chamado osso ilíaco, o que requer internação hospitalar e a presença de um médico ortopedista. Porém este método quase não é mais utilizado, pois há outras formas de realizar o caso.

Técnicas de implante dentário sem enxerto ósseo

radiografia mostra distribuicao dos implantes dentarios na arcada dentaria e a protese dentaria fixa instalada
A técnica all on four usa implantes inclinados para aumentar a profundidade da fixação dos implantes dentários. Ao mesmo tempo a angulação desvia de estruturas anatômicas importantes como nervos e o seio maxilar e permite fazer os implantes sem enxerto ósseo dentário

Algumas técnicas podem ser utilizadas para resolver casos sem enxerto ósseo entre elas os implantes dentários curtos, implantes zigomáticos, implantes angulados, carga imediata, implantes dentários mais finos, técnica all on 4 (all on four).

Com destaque especial podemos citar a técnica de cirurgia guiada para o implante dentário, que permite planejar por computador todo o processo de implantes, passo a passo a fim de mapear a estrutura do osso maxilar.

Essas técnicas visam modificar o comprimento ou posição dos implantes para fugir de estruturas anatômicas como nervos e ancorar o implante em um osso seguro. São técnicas seguras mas a indicação dependerá de uma avaliação clínica bem detalhada para prever o tratamento necessário e o valor.

Novas técnicas para enxertos de osso menos invasivos

É importante informar ao leitor que de forma ideal sempre tentaremos usar a técnica menos invasiva para resolver o caso. Isto quer dizer que o enxerto sempre será o melhor possível, com a menor invasividade e maior chance de sucesso.

Esta filosofia é mais atual e contrasta com os enxertos ósseos feitos antigamente que abrangiam grandes áreas, sendo que as usadas para implantes realmente eram apenas locais pontuais.

São técnicas de enxertos menos invasivos as técnicas com osso em pó e membranas de colágeno, osso em grânulos, enxerto da maxila por técnica de Summers.

Os exames de imagem atuais também avançaram bastante e permitem um diagnóstico muito bom da situação clínica antes de fazer o tratamento, a fim de evitar enxertos, quando possível.

E se eu tiver medo de fazer um enxerto ósseo na minha boca

Os implantes dentários resolvem muito bem problemas de pessoas que perderam seus dentes há muitos anos e não se acostumam com dentaduras.

Por isso é muito importante vencer esse medo que bloqueia algumas pessoas. Caso a pessoa ainda tenha muito medo, podemos fazer o tratamento cirúrgico dos implantes com o paciente sedado, o que significa que ele não verá nada.

E então já se animou para fazer seu implante dentário com enxerto ósseo? Não tenha medo, o tratamento vale a pena no final!

Ainda tem dúvidas? Comente abaixo e pergunte sobre implante dentário, enxerto ósseo, preço, melhor Day Clinic, estética dental e próteses em porcelana e zircônia

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Escanear o código