Skip to main content

Tag: pinos de titânio

Implante zigomático: desvantagens e riscos

O implante zigomático é uma técnica cirúrgica para reabilitação oral total no maxilar superior com implantes dentários e prótese, em que os pinos de titânio são fixados no osso zigomático.

Implante zigomático é apenas uma opção de tratamento (o pino de implante zigomático é longo!). É importante saber que a maioria dos casos de perda óssea pode ser resolvido com cirurgias menos agressivas. As cirurgias de enxerto ósseo são menos agressivas e podem preparar o paciente para receber um implante dentario de tamanho e colocação convencional

O Osso zigomático é o osso da maça do rosto, logo acima das bochechas e abaixo dos olhos.

osso zigomatico
Localização do Osso zigomático no crânio (em vermelho). Observe que o osso zigomático é distante da boca.

Indicação do implante zigomático

Esta técnica de implantes zigomáticos é normalmente indicada sobretudo para pacientes com severa perda óssea no maxilar superior ocasionada pela ausência prolongada de dentes.

A cirurgia de implante zigomático é portanto uma alternativa às técnicas cirúrgicas tradicionais que utilizam implantes dentais e enxertos.

Em geral os pacientes que optam em conjunto com o implantodontista em usar implantes zigomáticos o fazem pois a maior vantagem do implante zigomático é o tempo de tratamento.

O tratamento com implante zigomático pode ser mais rápido do que os tratamentos com enxertos ósseos e implantes curtos, entretanto, é uma técnica mais invasiva que o implante convencional.

Em geral para a técnica de implantes zigomáticos são inseridos entre 2 e 4 implantes. O número mínimo de implantes para reter uma prótese fixa é quatro (implantes all on four).

O osso do zigoma é muito duro e em geral os implantes travam bastante o que permite usar carga imediata, ou seja prender uma prótese provisória aos implantes no dia da cirurgia.

Entretanto, a indicação do implante zigomático deve obedecer a critérios específicos.

Desvantagens do implante Zigomático

O implante no osso zigomático é uma cirurgia considerada mais invasiva e complexa do que a técnica de enxerto ósseo.

Por isso a cirurgias para colocação dos implantes no zigoma devem ser feitas em hospital, sob anestesia geral.

Portanto os implantes zigomáticos não pode ser indicados em qualquer caso.

Além disso os cilindros de implantes utilizados na técnica zigomática são de três a quatro vezes maiores que os implantes normais.

Portanto a instalação depende de muita habilidade do cirurgião para não danificar outras estruturas faciais vizinhas.

Além disso, se ocorrer alguma falha na osseointegração dos implantes zigomáticos, os pinos e a prótese perderão suporte.

Dessa forma o tratamento sofrerá com atrasos e com a necessidade de procedimentos adicionais, como o enxerto ósseo.

Principais riscos do implante zigomático:

  • cirurgia grande feita em ambiente hospitalar
  • precisa de anestesia geral
  • há custo do hospital e anestesia envolvido
  • pode causar infecções recorrentes nos seios maxilares (sinusite)
  • Risco de lesionar estruturas vizinhas (vasos da face, nervos, e até mesmo a órbita (olhos).
  • Em casos de rejeição pode haver infeções ósseas.
  • A prótese ocupa uma parte do céu da boca
  • A prótese dentária final é grande
implante zigomatico ceu da boca
Aspecto de uma prótese dentária fixa para implante zigomático vista pelo lado interno. Observe no céu da boca a presença de fixações metálicas. A angulação e profundidade do implante zigomático em geral fazem com que a emergencia do implante na boca seja mais para dentro do que o ideal. Alguns pacientes se acostumam mas outros ficam incomodados com a prótese pelo seu volume aumentado por dentro.

Outras técnicas de implante sem usar o zigomático

Saiba mais sobre enxerto ósseo.

O implante zigomático é mais uma alternativa ao paciente que perdeu todos os dentes.

Mas hoje em dia, as técnicas de enxerto ósseo para aumento do volume bem como para o levantamento do seio maxilar são muito simples e com resultados bastante satisfatórios.

Em que primeiro lugar se reconstrói a estrutura óssea perdida do maxilar com enxertos ósseos, e só depois que há cicatrização, são colocados os implantes dentários.

Além disso, nos últimos anos foram desenvolvidos implantes mais curtos que são especialmente indicados para pacientes com perda óssea no maxilar.

Esses avanços permitem que a técnica de enxerto ósseo seja preferencialmente indicada e somente em casos mais complexos, a indicação do implante zigomático.

Em alguns casos as cirurgias guiadas de implante também evitam a indicação de implantes zigomáticos.

Exames radiológicos: a primeira imagem mostra o defeito decorrente da perda Óssea. A segunda imagem mostra a formação óssea dois meses depois do enxerto.
Exames radiológicos: a primeira imagem mostra o defeito decorrente da perda óssea. A segunda imagem mostra a formação óssea dois meses depois do enxerto.

Alternativas ao implante do zigomático: Enxerto do seio maxilar

A cirurgia de levantamento do seio maxilar consiste na realização de uma pequena abertura na gengiva na região lateral do defeito ósseo.

Então no interior dessa abertura, é colocada uma quantidade variável de material precursor de regeneração óssea.

A cirurgia é rápida e normalmente não demora mais que 30 minutos principalmente com um cirurgião experiente.

Após a realização do enxerto, os implantes deverão ser colocados dentro de 4 a 9 meses.

O tratamento com implantes +enxertos demora mais porém é mais seguro do que a técnica do implante no zigoma.

Durante esse período são realizados exames radiográficos para verificar o andamento da regeneração óssea e o melhor momento para a inserção dos implantes.

Em caso de dúvidas, agende uma consulta ou então entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

(11) 3262-4750

contato@implart.com.br

Fale Conosco

WhatsApp: (11) 99598-1866

Skype: clinica_implart

Facebook: ImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter: @implart

Instagram: ClinicaImplart

Há quemá procure por: implante zigoto, implante zigomati

Depois de um tratamento de canal deve-se fazer restauração ou núcleo e coroa de porcelana?

Primeiramente, vamos entender o que é e quando é necessária a realização de um tratamento de canal.

O tratamento de canal é um procedimento realizado por um dentista para remover a polpa dentária danificada, infectada ou morta. Isso ocorre geralmente devido a uma cárie profunda ou fratura no dente. Durante o procedimento, a polpa é removida, o interior do dente é limpo e, em seguida, é preenchido com um material de obturação. O objetivo do tratamento de canal é salvar o dente e aliviar a dor ou infecção associada. É importante procurar nosso especialista em tratamento de canal (endodontista) se houver sintomas de necessidade de tratamento de canal, como dor persistente, sensibilidade ao calor ou frio, inchaço da gengiva ou presença de abscesso.

Essa técnica é em suma a importante alternativa que o dentista tem para manter o dente e não precisar extraí-lo e realizar um implante dentário. Quando o tratamento de canal é realizado com sucesso, logo depois é necessário avaliar o grau de comprometimento da coroa dentária (parte visível do dente).

É nesse momento que se decide entre uma restauração simples ou então a instalação do núcleo com coroa de porcelana. A maioria dos dentes que recebem tratamento de canal precisarão de núcleo intrarradicular e uma coroa de porcelana.

Quando será necessária a coroa de porcelana?

Em casos de dentes do fundo da boca:

Para os dentes do fundo da boca, quase sempre será necessário um núcleo de reforço e depois a coroa de porcelana. Em caso de dentes do fundo muito íntegros, nos quais o especialista em canal faz só um furinho mínimo para tratar o dente, pode-se então fazer um núcleo e um bloco de porcelana.

Jamais vamos fazer só uma restauração simples nos dentes do fundo da boca, para restaurá-lo definitivamente após um tratamento de canal. A resina apesar de inicialmente parecer bonita, não é resistente e pode fraturar em pouco tempo.

Quando a resina quebrar o canal vai se infiltrar de novo e poderá haver dor, fratura do dente ou fratura da raiz, com alto riso de perda do dente. Se o dente infiltrar e permanecer resistente você precisará tratar o canal do dente de novo.

Em casos de dentes da frente da boca:

Em casos de dentes da frente da boca, quase sempre será necessário um núcleo de reforço logo após um tratamento de canal. A indicação da coroa de porcelana ou coroa de zirconia pura vai depender de quanto sobrar de dente saudável após o tratamento de canal.

Nos casos em que a estrutura da coroa dentária está pouco comprometida, um núcleo estético e uma restauração simples podem finalizar o tratamento. Isso desde que o dente seja reforçado com um núcleo dentário.

coroa de porcelana 1
Coroa de porcelana para os dentes da frente

Restaurações pequenas para dentes que não receberam tratamento de canal

Em dentes que não sofreram tratamento de canal, podemos realizar:

  • Obturação em resina,
  • Próteses parciais
  • Blocos de porcelana (onlays e inlays)

Observação: blocos dentais e restaurações de metal não são mais usados

Em pequenas reconstruções, a restauração simples é capaz de reconstruir a forma dental necessária para o paciente voltar a mastigar, falar e sorrir normalmente. Além disso, a restauração tem a função de proteger o dente e dar resistência suficiente para aguentar a carga mastigatória a qual será submetido.

coroas metal free para reabilitação oral cópia
Coroas de porcelana para reabilitação oral prontas para instalação

Quais são os materiais disponíveis para a coroa de porcelana?

Hoje em dia há diversos materiais para elaborar coroas de porcelana. Observe que há vários tipos de porcelana que tem diferentes formas de elaboração, diferente estética e resistência. Portanto siga os links abaixo para mais informações:

Restauração de dentes com grande comprometimento

Já nos casos em que a coroa dentária está inteiramente comprometida, a estrutura dentária precisa ser reproduzida através de uma coroa de porcelana. A coroa dental pode ser feita sem o tratamento de canal. A coroa do dente, primeiro é realizada em resina plástica (coroa provisória) e logo depois é finalizada em porcelana (coroa definitiva).

Canal no dente antes e depois

O tratamento de canal é uma intervenção odontológica essencial quando há danos na polpa do dente, causados por cárie profunda, trauma ou infecção. Antes do procedimento, o paciente pode experimentar dor intensa, desconforto ao mastigar, sensibilidade prolongada ao calor ou frio, e até mesmo inchaço na área afetada. O dente pode apresentar escurecimento devido à morte da polpa.

Durante o tratamento, a polpa danificada é removida, e o canal do dente é limpo, desinfectado e preenchido para evitar futuras infecções. Este processo alivia a dor e salva o dente de necessitar de extração.

Após o tratamento de canal, a dor é significativamente reduzida ou eliminada. O dente tratado pode necessitar de uma restauração ou coroa para garantir sua funcionalidade e estética, especialmente se for um dente posterior que suporta forças significativas ao mastigar. Com os devidos cuidados e higiene oral, um dente tratado pode durar tanto quanto os outros dentes naturais, restaurando a saúde oral e melhorando a qualidade de vida do paciente.

Canal no dente antes e depois
Esta imagem representa esquematicamente o avanço da cárie na estrutura do dente, que pode chagar ao nervo dental, e então criando a necessidade de tratar o canal do dente.

Quando é necessário o pino de reforço na raiz (núcleo)?

A coroa protética precisa de um reforço interno bastante resistente para aguentar a carga mastigatória e para se manter fixa ao longo dos anos. Esse reforço é chamado de núcleo, que é instalado dentro da raiz tratada e portanto serve como pilar para a instalação da coroa protética.

O pino de reforço será necessário SEMPRE que o canal for tratado, independente da região do dente. O núcleo serve para: vedação conta bactérias, Reforço da raiz, Apoio para o futuro dente de porcelana. Não confunda pino de reforço da raiz (núcleo), com pino de implante (no osso). São tratamentos diferentes.

Posso ficar sem o núcleo no dente (pino)?

Você até pode finalizar seu dente com uma resina comum sem colocar núcleo e coroa de porcelana. Porém espere uma durabilidade limitada do tratamento. Em algum momento seu dente vai quebrar ou vai começar a ter uma leve sensibilidade devido à reinfiltração de bactérias nos canais.

Coroa metalocerâmica x coroa zircônia com aplicação cerâmica

Materiais dos núcleos

Hoje em dia todavia, o núcleo pode ser confeccionado em metal ou fibra de vidro, ou em zircônia. Como já falamos, a instalação de um núcleo na raiz é obrigatória nos casos em que é preciso a instalação de uma coroa protética completa ou que se constate uma grande fragilidade do dente remanescente.

Imagine que o dente que é mantido após o tratamento de canal é naturalmente um dente que precisa de mais cuidado. O dente com canal tratado continua portanto sujeito a ter cárie, principalmente se o paciente não tiver os cuidados adequados de higiene oral.

O tratamento de canal também altera a estrutura do dente, tornando-o mais frágil e sujeito a fraturas do que um dente com polpa saudável. O paciente precisa ter a consciência de que esse dente não pode ser submetido a esforços exagerados, mesmo quando tem uma coroa de porcelana.

Conclusão

O tratamento de canal é a remoção da polpa dentária (tecido encontrado dentro da raiz do dente) que está infeccionada, danificada ou morta. Esse comprometimento da polpa normalmente acontece por causa de uma cárie profunda ou por fratura acidental do dente.

Caso ainda tenha dúvidas, agende uma consulta ou então entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Escanear o código