Skip to main content

Tag: carga mastigatoria

Por que a zircônia é um material resistente?

Por muito tempo as estruturas internas de próteses e outras restaurações dentárias eram confeccionadas com liga metálica, um material altamente resistente e capaz de suportar a força mastigatória.

Mas com o tempo nasceu a necessidade de produzir próteses e restaurações mais estéticas e parecidas com dentes naturais.

Isso porque apesar de resistente, o metal não é um material estético porque possui coloração escura e contrastante com a tonalidade natural dos dentes.

A zircônia surgiu como uma alternativa estética para a confecção de estruturas de próteses e restaurações dentárias, porque possui tonalidade branca e translúcida.

O material não apenas muito estético, como também é considerado bastante resistente.

Uma grande variedade de soluções protéticas e restauradoras podem ser confeccionadas com zircônia.

Mas por que a zircônia é um material resistente? A explicação está na física.

zircônia x metal
estrutura de zircônia x metal
Onlay metálico
Onlay metálico
Onlay cerâmico
Onlay cerâmico
Coroa de zircônia instalada
Coroa de zircônia instalada

Como é o processo de produção

A zircônia dental é fornecida ao dentista em forma de bloco formado por micropartículas de pó cerâmico pré sinterizado.

Nessas condições, o material ainda é frágil e permite sua manipulação.

O projeto da peça protética dental é feito em computador com o uso da tecnologia CAD/CAM e enviado ao compartimento de usinagem (impressora 3D) para fresagem do bloco de zircônia.

Quando a fresagem da peça é finalizada, a peça é levada ao forno e submetida a alta temperatura (cerca de 1500ºC) para que as micropartículas de pó cerâmico sejam agregadas e solidificadas.

A peça sofre uma contração e sua densidade máxima é alcançada. Esse processo chamado sinterização é o que torna a peça de zircônia muito resistente para suportar a carga mastigatória.

Outras caraterísticas da zircônia, como textura e resistência a manchas também são parecidas com os dentes naturais.

Isso ajuda que uma simples restauração dentária ou uma coroa unitária fique semelhante aos dentes vizinhos.

Se você ficou com alguma dúvida, deixe sua questão abaixo ou entre em contato conosco através de um dos seguintes canais de atendimento:

(11) 3262-4750

contato@implart.com.br

Fale Conosco

WhatsApp: (11) 99598-1866

Skype: clinica_implart

Facebook: ImplanteDentarioClinicaImplArt

Twitter: @implart

Instagram: ClinicaImplart

Por que é preciso colocar um núcleo para fazer algumas coroas?

O núcleo, como o próprio nome já diz, é a parte interior da coroa protética e é necessário para dar mais resistência e durabilidade à peça. Se a coroa de porcelana fosse instalada sem núcleo, certamente ela não resistiria aos esforços mastigatórios e consequentemente não duraria por muito tempo.

Atenção para a diferença entre tipos de núcleo

Os núcleos dentários também são chamados de pinos, pinos de reforço, pino dentário, porém não se devem confundir pino intrarradicular com pinos de implantes. Núcleo, ou pinos de reforço dentário são colocados no interior de uma raiz com canal tratado x pinos de implante dentário são colocados no osso.

A coroa protética é indicada para substituição da coroa dentária que está severamente comprometida, normalmente por cárie ou então fratura. A primeira preocupação do profissional dentista é sobretudo verificar se é possível manter parte da coroa dentária e restaurar a porção perdida com obturação.

Quando isso não é possível, a coroa dental precisa se reconstruída por completo. Se a raiz dentária puder ser mantida com tratamento de canal, o núcleo poderá ser instalado dentro da raiz para dar suporte à coroa protética.

Tipos de núcleos de reforço dentário

O núcleo pode ser confeccionado em diferentes materiais: o metal, fibra, zircônia, sendo que cada um atende necessidades distintas. Os núcleos estéticos são geralmente indicados para coroas anteriores, já que essa região é muito evidenciada ao sorrir. Dessa maneira, o uso de núcleo metálico pode vir a comprometer a estética dental, por criar uma sobra escura na parte interna do dente.

A liga metálica é moldada diretamente no interior da raiz tratada. Em coroas anteriores (parte mais visível da arcada dentária), o núcleo mais indicado é sem dúvida é de zircônia ou fibra. Esse material possui coloração próxima aos dentes naturais e fica praticamente invisível dentro da coroa protética, ainda que em ambientes iluminados.

Os núcleos intrarradiculares são pré-fabricados e instalados no interior da raiz tratada. Vale ressaltar que também é possível utilizar o núcleo metálico nos dentes anteriores. Porém com o passar dos anos poderá ocorrer retração gengival e uma pequena linha do núcleo metálico poderá ficar exposta, o que certamente comprometeria a estética do sorriso.

Núcleo e coroa dentaria

A coroa protética podem ser feitas em diversos tipos de materiais diferentes . Entre os tipos de coroas dentarias estão a resina provisória (plástica com núcleo metálico) , porcelana (com núcleo metálico ou estético) e a coroa de zirconia. A coroa de porcelana é mais resistente e estética em relação à resina. Certamente a coroa de zircônia é a mais moderna e resistente de todas. Então veja mais sobre modelos de próteses dentárias clicando aqui.

Se você está com um dente comprometido pela cárie, procure um bom profissional dentista imediatamente. Além de estar correndo riscos para a sua saúde, a cárie sem dúvida também afeta a estética do sorriso. A coroa protética deixa o sorriso completo novamente e dessa forma a pessoa pode voltar a mastigar, falar e sorrir normalmente.

Certamente o ideal é sempre cuidar de forma preventiva, tratando sempre que for identificado um problema. Dessa forma, evitamos que o problema se agrave com a perda dental e necessidade de implante dentario. Portanto, visite o dentista regularmente para realizar sua profilaxia e controle.

Núcleo em material estético uma nova possibilidade

Com o desenvolvimento de novos materiais e técnicas computadorizadas, agora é possível também realizar núcleos dentários brancos. Um núcleo estético (sem metal) certamente favorece a estética em dentes anteriores. Conheça mais sobre núcleos estéticos nesta matéria. Esse tratamento você encontra na Clínica Odontológica ImplArt

A Clínica Dentária ImplArt possui equipe multidisciplinar que faz desde o tratamento de canal até a confecção da coroa protética e núcleo. Com um suporte tecnológico que sem dúvida deixa o seu tratamento mais rápido, cômodo e preciso. Em caso de dúvidas, agende uma consulta ou então entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Depois de um tratamento de canal deve-se fazer restauração ou núcleo e coroa de porcelana?

Primeiramente, vamos entender o que é e quando é necessária a realização de um tratamento de canal.

O tratamento de canal é um procedimento realizado por um dentista para remover a polpa dentária danificada, infectada ou morta. Isso ocorre geralmente devido a uma cárie profunda ou fratura no dente. Durante o procedimento, a polpa é removida, o interior do dente é limpo e, em seguida, é preenchido com um material de obturação. O objetivo do tratamento de canal é salvar o dente e aliviar a dor ou infecção associada. É importante procurar nosso especialista em tratamento de canal (endodontista) se houver sintomas de necessidade de tratamento de canal, como dor persistente, sensibilidade ao calor ou frio, inchaço da gengiva ou presença de abscesso.

Essa técnica é em suma a importante alternativa que o dentista tem para manter o dente e não precisar extraí-lo e realizar um implante dentário. Quando o tratamento de canal é realizado com sucesso, logo depois é necessário avaliar o grau de comprometimento da coroa dentária (parte visível do dente).

É nesse momento que se decide entre uma restauração simples ou então a instalação do núcleo com coroa de porcelana. A maioria dos dentes que recebem tratamento de canal precisarão de núcleo intrarradicular e uma coroa de porcelana.

Quando será necessária a coroa de porcelana?

Em casos de dentes do fundo da boca:

Para os dentes do fundo da boca, quase sempre será necessário um núcleo de reforço e depois a coroa de porcelana. Em caso de dentes do fundo muito íntegros, nos quais o especialista em canal faz só um furinho mínimo para tratar o dente, pode-se então fazer um núcleo e um bloco de porcelana.

Jamais vamos fazer só uma restauração simples nos dentes do fundo da boca, para restaurá-lo definitivamente após um tratamento de canal. A resina apesar de inicialmente parecer bonita, não é resistente e pode fraturar em pouco tempo.

Quando a resina quebrar o canal vai se infiltrar de novo e poderá haver dor, fratura do dente ou fratura da raiz, com alto riso de perda do dente. Se o dente infiltrar e permanecer resistente você precisará tratar o canal do dente de novo.

Em casos de dentes da frente da boca:

Em casos de dentes da frente da boca, quase sempre será necessário um núcleo de reforço logo após um tratamento de canal. A indicação da coroa de porcelana ou coroa de zirconia pura vai depender de quanto sobrar de dente saudável após o tratamento de canal.

Nos casos em que a estrutura da coroa dentária está pouco comprometida, um núcleo estético e uma restauração simples podem finalizar o tratamento. Isso desde que o dente seja reforçado com um núcleo dentário.

coroa de porcelana 1
Coroa de porcelana para os dentes da frente

Restaurações pequenas para dentes que não receberam tratamento de canal

Em dentes que não sofreram tratamento de canal, podemos realizar:

  • Obturação em resina,
  • Próteses parciais
  • Blocos de porcelana (onlays e inlays)

Observação: blocos dentais e restaurações de metal não são mais usados

Em pequenas reconstruções, a restauração simples é capaz de reconstruir a forma dental necessária para o paciente voltar a mastigar, falar e sorrir normalmente. Além disso, a restauração tem a função de proteger o dente e dar resistência suficiente para aguentar a carga mastigatória a qual será submetido.

coroas metal free para reabilitação oral cópia
Coroas de porcelana para reabilitação oral prontas para instalação

Quais são os materiais disponíveis para a coroa de porcelana?

Hoje em dia há diversos materiais para elaborar coroas de porcelana. Observe que há vários tipos de porcelana que tem diferentes formas de elaboração, diferente estética e resistência. Portanto siga os links abaixo para mais informações:

Restauração de dentes com grande comprometimento

Já nos casos em que a coroa dentária está inteiramente comprometida, a estrutura dentária precisa ser reproduzida através de uma coroa de porcelana. A coroa dental pode ser feita sem o tratamento de canal. A coroa do dente, primeiro é realizada em resina plástica (coroa provisória) e logo depois é finalizada em porcelana (coroa definitiva).

Canal no dente antes e depois

O tratamento de canal é uma intervenção odontológica essencial quando há danos na polpa do dente, causados por cárie profunda, trauma ou infecção. Antes do procedimento, o paciente pode experimentar dor intensa, desconforto ao mastigar, sensibilidade prolongada ao calor ou frio, e até mesmo inchaço na área afetada. O dente pode apresentar escurecimento devido à morte da polpa.

Durante o tratamento, a polpa danificada é removida, e o canal do dente é limpo, desinfectado e preenchido para evitar futuras infecções. Este processo alivia a dor e salva o dente de necessitar de extração.

Após o tratamento de canal, a dor é significativamente reduzida ou eliminada. O dente tratado pode necessitar de uma restauração ou coroa para garantir sua funcionalidade e estética, especialmente se for um dente posterior que suporta forças significativas ao mastigar. Com os devidos cuidados e higiene oral, um dente tratado pode durar tanto quanto os outros dentes naturais, restaurando a saúde oral e melhorando a qualidade de vida do paciente.

Canal no dente antes e depois
Esta imagem representa esquematicamente o avanço da cárie na estrutura do dente, que pode chagar ao nervo dental, e então criando a necessidade de tratar o canal do dente.

Quando é necessário o pino de reforço na raiz (núcleo)?

A coroa protética precisa de um reforço interno bastante resistente para aguentar a carga mastigatória e para se manter fixa ao longo dos anos. Esse reforço é chamado de núcleo, que é instalado dentro da raiz tratada e portanto serve como pilar para a instalação da coroa protética.

O pino de reforço será necessário SEMPRE que o canal for tratado, independente da região do dente. O núcleo serve para: vedação conta bactérias, Reforço da raiz, Apoio para o futuro dente de porcelana. Não confunda pino de reforço da raiz (núcleo), com pino de implante (no osso). São tratamentos diferentes.

Posso ficar sem o núcleo no dente (pino)?

Você até pode finalizar seu dente com uma resina comum sem colocar núcleo e coroa de porcelana. Porém espere uma durabilidade limitada do tratamento. Em algum momento seu dente vai quebrar ou vai começar a ter uma leve sensibilidade devido à reinfiltração de bactérias nos canais.

Coroa metalocerâmica x coroa zircônia com aplicação cerâmica

Materiais dos núcleos

Hoje em dia todavia, o núcleo pode ser confeccionado em metal ou fibra de vidro, ou em zircônia. Como já falamos, a instalação de um núcleo na raiz é obrigatória nos casos em que é preciso a instalação de uma coroa protética completa ou que se constate uma grande fragilidade do dente remanescente.

Imagine que o dente que é mantido após o tratamento de canal é naturalmente um dente que precisa de mais cuidado. O dente com canal tratado continua portanto sujeito a ter cárie, principalmente se o paciente não tiver os cuidados adequados de higiene oral.

O tratamento de canal também altera a estrutura do dente, tornando-o mais frágil e sujeito a fraturas do que um dente com polpa saudável. O paciente precisa ter a consciência de que esse dente não pode ser submetido a esforços exagerados, mesmo quando tem uma coroa de porcelana.

Conclusão

O tratamento de canal é a remoção da polpa dentária (tecido encontrado dentro da raiz do dente) que está infeccionada, danificada ou morta. Esse comprometimento da polpa normalmente acontece por causa de uma cárie profunda ou por fratura acidental do dente.

Caso ainda tenha dúvidas, agende uma consulta ou então entre em contato conosco. Ficaremos felizes em atendê-lo.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Pessoas com diabetes podem fazer implante dentário?

Normalmente o paciente portador de diabetes tipo 2 descompensada não é um bom candidato para receber implantes dentários. Como é bem conhecido, o organismo do paciente diabético tem dificuldade de cicatrização após uma cirurgia. Tratando-se de implantes dentários não é diferente.

Implantes dentários são a melhor forma de repor dentes perdidos

O sucesso da cirurgia de implantes dentários depende de um processo cicatricial que se chama osseointegração. É quando o osso se regenera e envolve os implantes para mantê-los fixos e estáveis para suportar a carga mastigatória no decorrer dos anos.

Em pacientes diabéticos com dificuldade de cicatrização a osseoinegração pode não ocorrer e o implante amolecer ou sair do local ao qual foi inserido. A outra grande preocupação na realização de cirurgia de implantes dentários em pacientes diabéticos certamente se deve ao risco de hemorragia.

Parece uma condição assustadora, mas a odontologia e implantodontia avançaram muito para atender esse público. Hoje a cirurgia para implantes dentários têm sido realizadas e bem sucedidas em diabéticos com a doença controlada.

O bom cirurgião implantodontista se preocupa em prestar o melhor serviço para que o paciente fique satisfeito. Em suma, ele só vai fazer a indicação da cirurgia se perceber que o paciente tem condições de passar por ela.

São solicitados exames complementares para que seja avaliado o estado de saúde, inclusive o índice glicêmico e a capacidade de coagulação. O tratamento pode ser feito em conjunto com um endocrinologista, para que seja assegurado que o paciente esteja com a diabetes controlada.

Conheça mais dúvidas frequentes em implantes dentários

Implantes guiados para portador de diabetes

Atualmente a cirurgia de implante dentário pode ser não apenas planejada, como também guiada por computador. Neste planejamento o cirurgião vai identificar os melhores pontos para incisão, evitando assim cortes desnecessários.

Dessa forma, o paciente tem pouco ou nenhum sangramento e não corre o risco de ter hemorragias e infecções durante e após a cirurgia. Também é necessário que o paciente esteja comprometido com o tratamento, fazendo o uso correto da medicação.

É importante que mude, na medida do possível, alguns hábitos para ajudar a controlar a diabetes, como por exemplo evitar o consumo de açúcar e alimentos gordurosos e adote a prática de exercícios.

Clinica ImplArt

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Os desafios dos implantes dentários em área estética

Normalmente, existem duas situações que levam uma pessoa a precisar de implantes dentários em área estética (frontal):

  • Ou perda dentária (mobilidade dentária) pós doença periodontal
  • Ou perda dentária ou fratura pós acidente, sendo essas perdas unitárias ou múltiplas, recentes ou antigas.

Área estética é a parte mais visível da arcada e merece atenção e agilidade

A colocação de implantes dentários em área estética exige um resultado mais aperfeiçoado por justamente estarem na parte mais visível da arcada dentária. Mas essa região possui algumas particularidades que são consideradas desafiadoras. No entanto, não necessariamente impedem o procedimento. Principais desafios de implantes em área estética:

Urgência da situação

A perda de dentes, principalmente na área estética, é traumática e desagradável. Independente da forma que ela ocorreu, a situação exige urgência na resolução para que o paciente possa retornar as suas atividades normais.

A indicação para esses casos normalmente são implantes dentários com a técnica de carga imediata. Ou seja, a colocação dos implantes e próteses provisórias em até 72 horas para imediato restabelecimento visual e funcional.

É importante que o procedimento de implante dentário seja feito o quanto antes após a perda dentária, para evitar a progressão da reabsorção óssea e prejuízo no formato da gengiva.

Em muitos casos, especialmente quando a perda ou fratura foi por acidente, o implante pode ser feito com tranquilidade logo em seguida da extração da raiz.

Condição óssea e gengival desfavorável

Para que o implante seja realizado com segurança, a primeira coisa que o cirurgião avalia após a perda dentária é o comprometimento ósseo e gengival, pois é da integridade desses tecidos que depende o sucesso da cirurgia.

Essas condições podem ser constatadas por exames clínicos e de imagem. Veja alguns exemplos de condições desfavoráveis e possíveis soluções:

Se a perda dentária ocorreu pós doença periodontal, a base óssea necessária para sustentação do implante pode estar fragilizada, exigindo que essa questão seja solucionada em primeiro lugar, para depois se pensar em implante.

A espessura e altura óssea podem ser reconstruídas com enxerto ósseo ou com levantamento do seio maxilar. Também é extremamente importante que a doença periodontal seja controlada e paralisada.

Se o paciente está com mobilidade dentaria ou houve uma fratura na raiz do dente e não há como preserva-lo, ou seja, quando a extração é inevitável, o bom cirurgião dentista faz o procedimento de remoção dentária com o máximo cuidado a fim de preservar a parede óssea e os tecidos moles para posterior colocação dos implantes.

Se a indicação dos implantes é para substituição de ponte em paciente que está ha muito tempo desdentado na área estética, certamente a reabsorção óssea local esta avançada e com comprometimento da base óssea ideal.

Esses casos também podem ser solucionados com enxerto ósseo para reconstrução da estrutura e posterior colocação dos implantes.

Se há deficiência no tecido gengival, é possível fazer enxerto de tecido mole para reconstrução e melhora da estrutura e visual estético da gengiva.

Normalmente a falta de estrutura óssea e gengival não é empecilho para realização dos implantes dentários, representando apenas um contratempo.

Nesses casos, é preciso que o paciente tenha um pouco de paciência até a resolução do caso, pois ele não ficará desdentado durante esse processo.

Harmonia entre prótese e dentes remanescentes

Outro cuidado a ser tomado para alcançar o sucesso nesse procedimento, é a escolha dos implantes e das próteses adequadas. O formato e calibre dos implantes para região estética são especiais, normalmente em formato cilindro-cônico para melhor estabilização.

Eles devem ser cuidadosamente instalados, pois o correto posicionamento, tanto em inclinação, como em profundidade, influencia no resultado estético da prótese em relação aos dentes naturais remanescentes.

Implantes na área estética também exigem cuidado na escolha dos materiais da prótese para que fiquem em harmonia com os dentes naturais remanescentes. Elas preferencialmente devem conter material branco (zircônia) na parte interna e não metálico.

A porcelana é um ótimo material para o revestimento da prótese, porque imita muito bem a textura, cor e translucidez dos dentes humanos. Atualmente existem até mesmo implantes fabricados em cerâmica pura (Pure Ceramic), ideais para esta região.

Saiba mais sobre carga imediata

Cuidados pós-operatório

Carga mastigatória

A estrutura óssea e gengival da área estética é naturalmente mais delicada do que na região posterior. Portanto o paciente deve ser cuidadoso com esforço mastigatório nos primeiro meses após a cirurgia até a completa osseointegração e regeneração óssea, com o intuito de evitar a perda dos implantes.

Acompanhamento profissional

É importante que o paciente compareça a todas as consultas programadas após a cirurgia, pois somente assim o cirurgião vai poder acompanhar o sucesso ou insucesso do procedimento.

Higiene

É extremamente necessário que o paciente tenha cuidado redobrado com a higiene oral a fim de evitar infecções ao redor do implante (periimplantite).

Conheça a Clínica ImplArt

A Clínica ImplArt tem estrutura e equipe especializada que influenciam positivamente no sucesso do implante dentário em área estética. A cirurgia pode ser previamente simulada em computador através de um software.

Dessa forma é possível planejar o posicionamento, a quantidade e o modelo dos implantes de acordo com a disponibilidade óssea do paciente, visando resultado estético e harmonioso. Entre em contato conosco e agende uma consulta

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Escanear o código