Skip to main content

Tag: tratamento ortodontico

Perda óssea dentária o que, como evitar, tem tratamento?

As principais causas da perda óssea dentária são falta de dentes sem reposição e doenças periodontais (inflamações e infecções na gengiva, ossos e dentes provocadas por bactérias da placa e tártaro que se aderem por higienização bucal insuficiente). A boa notícia é que os dentes perdidos podem ser repostos com a realização de implante dentario, seja ele implante unitário, implante parcial ou mesmo implante total. Nesse sentido, o implantodontista poderá orientar você sobre a melhor escolha de tratamento em sua consulta inicial.
Mas vamos entender primeiro que existem algumas razões para perda óssea dental (popularmente chamada de perca óssea por alguns pacientes). Vamos acompanhar a seguir.

Como ocorre a perda óssea dental por falta de dente?

Primeiramente, a arcada dentária é formada por várias estruturas e tecidos que suportam os dentes, como por exemplo ossos com diferentes densidades, gengivas, mucosas, ligamentos e músculos. A perda de um, alguns ou todos os dentes geram, dessa maneira, um desequilíbrio nessas estruturas, com retração gengival.

Nesse sentido, o osso e ligamentos que sustentavam os dentes perdidos, ficam sem função. Portanto, o organismo reage a isso reabsorvendo parte dessas estruturas. Por isso a perda óssea por falta de dente é chamada de reabsorção óssea.

A reabsorção óssea causada pela perda do dente ocorre progressivamente e a gengiva acompanha o novo formato ósseo gerando um formato defeituoso e inestético.

perda óssea dentária
Reabsorção óssea por falta de um dente: houve perda óssea na altura e na largura do rebordo, gerando um defeito ósseo e gengival.

A melhor forma de evitar o início e o avanço da perda óssea é repor o dente perdido por um dente protético que mais se assemelhe ao dente natural, que atualmente é o implante dentário. Ao inserir cirurgicamente o implante no osso, o organismo tende a manter o volume ósseo e não o reabsorver.

A falta de dentes compromete a saúde bucal e a estética do sorriso

Mudanças estruturais ocorrem quando falta dente, mesmo que seja apenas um, especialmente na arcada superior, já que o osso é mais poroso e reabsorve mais rápido. Os dentes vizinhos tendem a movimentar lateralmente por uma tentativa do organismo em preencher o espaço vazio.

blackspace doenca periodontal 50kb
Perda óssea avançada na arcada inferior evidencia exposição das raízes dentárias e acumulo bacteriana de placa nesta região, deslocamento lateralizado dos dentes centrais, retração gengival e perda dos arcos gengivais, surgimento de espaços negros entre os dentes (blackspace dental) que favorecem a retenção de alimentos.

Além de problema estético, também altera a oclusão dentária (problemas funcionais, musculo esquelético da face, articulações e prejudica a saúde bucal quando dificulta, por exemplo, a limpeza dos dentes. Dentes tortos tendem a reter mais alimentos e dificultar a passagem de fio dental e escova de dente.

O que seria afinal a perca óssea no maxilar?

perda óssea do maxilar é um termo correto para descrever a diminuição de osso na região do maxilar (perca óssea seria incorreto). Essa condição pode ocorrer por várias razões, como doenças periodontais, trauma ou outras condições médicas. A pessoa que perdeu posso tem uma redução e alteração no volume das estruturas do maxilar. O problema está no formato do osso porém gengiva que é um tecido fino de revestimento também acompanha a forma do relevo do osso, de forma que o paciente tem impressão as vezes de ter uma redução na gengiva, mas a causa original é no osso.

Perda óssea dental tratamento com implante dentário

O implante dentário pode ser colocado quando há uma relativa perda óssea. A técnica é realizada com enxerto ósseo, que pode ser colocado previamente ao implante (alguns meses antes) ou concomitante ao implante (na mesma cirurgia). Para saber qual é a melhor técnica para o seu caso, é necessário avaliar em consulta com o cirurgião dentista, especializado em implantodontia.

Imagens de radiografia panorâmicas evidenciam o ganho de volume ósseo vertical após o procedimento de enxerto ósseo para tratamento de perda óssea dentária. Acima, antes do enxerto. Abaixo depois do implante dentário e enxerto de osso.

Perda óssea dental causa por doença periodontal

A doença periodontal é uma das causas mais frequentes da perda óssea dentária. É uma condição inflamatória e infecciosa que acomete os tecidos de suporte dos dentes, entre eles o osso.

Esse quadro é iniciado e mantido por ação de bactérias que vivem na placa e tártaro, que nada mais são do que partículas alimentares aderidas nos dentes perto da linha da gengiva. Em nossa experiencia, esta é a causa mais comum de perda óssea ao redor de dentes.

As bactérias liberam toxinas que inflamam a gengiva constantemente (gengivite) e um quadro infeccioso que destrói o osso e ligamentos periodontais. Nesse caso, a perda óssea dentaria ocorre por infecção no osso e tecidos de suporte dos dentes.

Algumas pessoas têm mais tendência a desenvolver a doença periodontal do que outras, como por exemplo portadoras de diabetes. A recomendação geral para todas as pessoas é manter uma higienização oral adequada, escovando os dentes após as refeições, usando fio dental e enxaguante diariamente, e visitando o dentista regularmente. Essas são sem dúvida as melhores formas de evitar o acumulo de placa bacteriana e tártaro.

Sintomas de perda óssea dentária

Você pode estar com perda óssea dentária se perceber que:

  • Surgiu um espaço entre os dentes
  • Os dentes parecem mais compridos
  • A gengiva perdeu o formato natural (arcos e papilas)
  • A raiz do dente está aparecendo
  • Está com retração gengival e sensibilidade nos dentes
  • Está com impactação de alimentos entre os dentes
  • Tem um ou mais dentes moles
  • Há infecção, sangramento, placa bacterina ou tártaro perto da linha gengival
  • Sente a mordida diferente (má oclusão)

Outras razões da perda óssea dental

Tratamento ortodôntico prolongado ou mal conduzido

Aparelhos ortodônticos convencionais, que são esses que possuem elásticos, exigem do paciente especial atenção com a higiene bucal. Os acessórios do aparelho dificultam a escovação e fio dental e se não houver uma dedicação, há um acumulo de placa bacteriana.

Mas a principal causa de perda óssea relacionada a ortodontia é má condução do tratamento ou prolongação do tratamento. A aplicação errada de forças no aparelho pode levar uma reabsorção óssea.

A melhor forma de evitar isso é realizar o tratamento ortodôntico com um bom profissional especializado em Ortodontia.

Bruxismo

Hábito involuntário de ranger ou apertar excessivamente os dentes, principalmente durante o sono. Quadros severos de bruxismo causa danos as estruturas da dentição, entre as principais desgaste do esmalte dentário e perda óssea. O bruxismo pode e precisa ser tratado. Leia mais sobre tratamento do bruxismo.

Fumo e tabagismo em geral: a nicotina e outras substancias agridem constantemente os tecidos bucais, a vascularização e resposta contra infecções ficam prejudicadas, e o suporte dos dentes fragilizados. Por isso a chance de haver reabsorção do osso alveolar em fumantes é muito maior do que nas pessoas que não tem esse hábito.

Osteoporose / idade

Conforme a pessoa envelhece, há uma natural diminuição da atividade metabólica, redução da densidade do tecido ósseo em todo o corpo, inclusive regiões da face como a mandíbula e o maxilar.

Por isso a movimentação, mobilidade e perda de dentes é mais frequente nesta faixa etária.

A prevenção da osteoporose começa desde cedo, com a ingestão de alimentos ricos em cálcio, como por exemplo leite e derivados, peixe, banana, castanhas, entre outros.

Diabetes

O portador de diabetes descompensada prejudica a circulação e a resposta a infecções, por isso tem mais chances de desenvolver gengivite e doença periodontal, que como citado anteriormente causa perda óssea e a sustentação dos dentes.

Cisto

Lesões grandes provocam a expansão dos ossos maxilares, movimentação, levando a reabsorção das raízes dentárias e perda óssea. O osso se torna mais frágil e suscetível a fraturas, e os dentes com raiz reabsorvida podem necessita de extração.

Fratura radicular

Raiz dentária fraturada ou quebrada pode acontecer devido a um enfraquecimento da estrutura dental por cárie, infiltrações, perfuração do canal por técnica incorreta durante o tratamento de canal, acidente ou por sobrecarga excessiva sobre os dentes. A raiz fraturada favorece a migração de bactérias para a região óssea, e por consequência a perda óssea.

perda ossea raiz 50kb
Perda óssea em torno de um dente com raiz fraturada.

Por que é importante realizar o tratamento para perda óssea?

Como citado anteriormente, o osso maxilar é o grande responsável por suportar os dentes, e, portanto, a perda óssea favorece o surgimento de problemas como amolecimento ou perda dos dentes, exposição da raiz dentária – que deveria estar sempre protegida. A raiz dentária exposta deixa os dentes sensíveis e suscetíveis a infecções supra gengivais.

Se a causa do acúmulo de placa e tártaro nos dentes é a má oclusão, um tratamento ortodôntico para alinhar os dentes pode ser necessário.

A perda óssea é irreversível, ou seja, o tecido não é recomposto pelo organismo. Mas há recursos para evitar o avanço do problema, como por exemplo a eliminação de focos infecciosos por meio de uma limpeza profunda feita pelo dentista, que também pode prescrever antibióticos e realizar cirurgia gengival para fechar bolsas periodontais.

Enxerto ósseo para tratamento de perda óssea dental

As técnicas avançadas de enxerto ósseo têm solucionado, dessa maneira, muitos problemas de perda óssea dental, especialmente quando planeja a colocação de implantes dentários para repor dentes, por um implantodontista. Só para exemplificar, o enxerto pode ser proveniente de outras partes do corpo, bovino ou de material biosintético.

Para pequenos defeitos o enxerto pode ser granulado, também chamado de enxerto dentário em pó. Para grandes defeitos o enxerto em bloco pode ser indicado.

Enxerto ósseo granulado
Enxerto ósseo em bloco

Para arcada superior, a técnica de enxerto ósseo com levantamento de seio maxilar e técnica de summers decerto ajuda a ganhar volume ósseo em casos de perda óssea. Dessa forma, muitas vezes, é possível realizar o implante e o enxerto na mesma cirurgia. Saiba mais clicando sobre estas técnicas de implantodontia aqui.

Conclusão

A perda óssea dental pode ocorrer devido à doença periodontal, trauma ou falta de estímulo das raízes dos dentes. Esses fatores podem levar à reabsorção óssea e, consequentemente, à perda dos dentes. No entanto, com os implantes dentários, é possível repor os dentes perdidos e restaurar a função mastigatória e estética. Os implantes são inseridos no osso maxilar ou mandibular e fornecem suporte para as próteses dentárias. É importante consultar nossa equipe de implantodontistas para avaliar a viabilidade do implante e determinar o melhor plano de tratamento para o seu caso.

Acesso a nossa página especial sobre todas as técnicas de enxerto ósseo, ou fale conosco pelo WhatsApp (11) 3262-4750

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Implante dentário em quem usa aparelho ortodôntico

É possível realizar implante em quem está em tratamento ortodôntico ou que já finalizou o alinhamento dos dentes com aparelho ortodôntico? Sim, aliás, ambos tratamentos (ortodôntico e com implante) podem andar em conjunto!

Quando há perdas dentárias não repostas imediatamente com implantes dentarios os dentes próximos tendem a se movimentar, ocupando lugar do dente extraído. Com isso, antes do paciente poder receber o implante, deve-se “fazer espaço”, movimentando os dentes para a posição original a fim de que o local possa receber o implante dentario. Por isso, em caso de perda dental o ideal é repor o dente perdido com implante dentario o mais breve possível.

A combinação das técnicas, a instalação do implante e o uso do aparelho, alcança melhores resultados estéticos e funcionais.

Em geral, os dois procedimentos, implante e aparelho ortodôntico, podem ser realizados e muitas vezes são até complementares um ao outro. A colocação do implante é indicada para preenchimento eventuais espaços pela ausência de um dente. Enquanto que o aparelho ortodôntico melhora o espaço e o alinhamento dos dentes após a colocação de um implante.

O procedimento cirúrgico para colocação do implante é preferencialmente realizado após a finalização do alinhamento dos dentes com aparelho, em que existe um panorama mais realista do posicionamento dentário.

Se durante o tratamento ortodôntico estiver faltando um dente, ou um espaço exagerado é apresentado, é possível utilizar uma coroa adesiva provisória para melhorar o aspecto estético.

Pode fazer implante usando aparelho?

Em alguns casos o implante pode ser feito ainda durante o tratamento ortodôntico, bastando apenas retirar provisoriamente o aparelho para permitir o acesso ao local e a recolocação logo em seguida.

Nos casos de falta de espaço suficiente para implantes, é possível usar aparelho ortodôntico para abrir lugar para implante dentário, ou seja, colocar aparelho antes do implante. Primordialmente, a reposição de um dente perdido por implante dentário, deve ser feita o mais breve possível, com a finalidade de evitar a perda ´óssea na região.

Em alguns casos, pode ser recomendada a extração dos dentes dos siso, para proporcionar melhor movimentação dos dentes com o aparelho ortodontico.

Conheça o aparelho ortodôntico invisível

Conheça o aparelho dentário mais rápido e confortável

Quem tem implantes dentários pode usar aparelho ortodôntico?

Essa é uma questão muito comum nos pacientes que desejam realinhar os dentes, mas já possui um ou mais implantes na boca.

O aparelho pode ser indicado para quem tem implante dentário? A resposta é sim. Entretanto, o aparelho é programado para não exercer qualquer tipo de força sobre o implante e a coroa (dente protético), já que esses não podem ser movimentados.

Inclusive muitas pessoas pensam que o aparelho pode ser uma solução para movimentar um implante que foi mal colocado.

Mas isso não é possível, porque os implantes osseointegrados se ligam ao osso e não existe ligamentos periodontais que permitam essa movimentação.

Quando bem posicionado, o ortodontista pode usar o implante para ancoragem no tratamento ortodôntico, ou seja, ele é utilizado como apoio para tracionamento de dentes naturais. Isso demonstra o quão forte é a ligação entre implante de titânio e osso.

Em geral se os espaços dos dentes ausentes já estiverem bem definidos, os implantes dentais podem ser feitos. Entretanto se ainda ocorrerá grande movimentação no local, então o ortodontista e o implantodontista vão decidir juntos o melhor momento.

Posso usar aparelho mesmo faltando dentes?

Sim, o aparelho tem por objetivo alinhar os dentes existentes, e os espaços que sobraram podem ser preenchidos posteriormente com os implantes dentários, que é a melhor técnica existente para reposição de dentes perdidos ou ausentes. Alguns casos de más formações ósseas como no lábio leporino podem requerer o trabalho multidisciplinar entre o implantodontista e o ortodontista.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

A importância da manutenção do aparelho ortodôntico

As visitas para manutenção do aparelho ortodôntico são fundamentais para um tratamento eficaz e mais rápido. Ao mesmo tempo, faltar às consultas pode tornar o tratamento mais demorado e dispendioso.

Deixar de comparecer as consultas programadas atrasa a obtenção do resultado planejado e pode trazer outras consequências para a saúde bucal. Por exemplo, o acúmulo de placa bacteriana (casos mais leves), reabsorção óssea, reabsorção radicular e retração gengival (casos mais sérios).

Muitas pessoas não entendem essa importância e consideram as consultas chatas, associando-as com dores e desconforto toda vez que o aparelho é ajustado. Porém, é preciso compreender que tudo isso faz parte da evolução do tratamento.

O que é realizado nas consultas de manutenção do aparelho ortodôntico?

Durante as consultas de manutenção do aparelho ortodôntico, o dentista realiza a troca dos elásticos (que perdem capacidade de tração ao longo dos dias). Verifica se algum bráquete se soltou e principalmente ajusta o fio que gera a movimentação progressiva dos dentes. Também avalia se o paciente está realizando a higienização oral adequadamente e remove placa e tártaro quando acumulado.

O intervalo entre as consultas é variável, pois depende do diagnóstico do paciente e o tipo de aparelho. Lembre-se: mesmo que os primeiros dias após a manutenção do aparelho sejam marcados por dores e desconforto, é importante compreender que essas sensações são esperadas e normais.

Elas fazem parte do tratamento e significam que ele está sendo bem conduzido. Essa fase do tratamento deve ser encarada como transitória, mas que porém trará benefícios à saúde e a estética dental para toda a vida. Converse com seu dentista e pergunte sobre maneiras de minimizar os desconfortos, por exemplo o uso de analgésicos ou a utilização de cera protetora sobre os bráquetes para evitar irritação na mucosa.

Existem ainda alternativas de aparelhos ortodônticos mais modernos, como o aparelho autoligado que dispensa o uso de elásticos. O que certamente reduz o número de consultas para manutenção do aparelho ortodôntico e dessa forma torna a movimentação dentária mais suave), e os aparelhos e forma de placas alinhadoras. Saiba mais clicando aqui.

Se você ficou com alguma dúvida sobre manutenção do aparelho ortodôntico sua relação com implantes dentais, entre em contato conosco através de um dos canais abaixo ou agende uma consulta com nossa equipe especializada.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Aparelhos ortodônticos autoligados: vantagens e modelos disponíveis

Conheça as vantagens dos aparelhos ortodônticos autoligados, mais eficientes e confortáveis para movimentação dentária e mais discretos.

Principais vantagens dos aparelhos ortodônticos autoligados em relação aos aparelho convencionais

Quando o assunto é tratamento ortodôntico, normalmente a primeira imagem que nos vem à cabeça é do um sorriso metálico. Ou então a imagem de aparelhos pesados, com borrachinhas coloridas. Ou mesmo de que se trata de um tratamento demorado, muito desconfortável e dolorido.

O que nem todo mundo sabe é que hoje em dia existem aparelhos ortodônticos modernos com aparência muito mais discreta e que trazem resultados muito mais rápidos. São os aparelhos ortodônticos autoligados, uma alternativa aos aparelhos ortodônticos convencionais, especialmente porque possui características que os tornam vantajosos. Então conheça a seguir quais são esses diferenciais e os modelos disponíveis.

Visualmente mais discreto

Os aparelhos ortodônticos convencionais necessitam do uso de pequenas borrachinhas em cada bráquete colado nos dentes para dessa maneira prender o arco metálico. Enquanto que no aparelho ortodôntico autoligado o arco metálico é passado por canaletas em cada bráquete e preso por pequenas tampinhas que já fazem parte de cada peça. A ausência dessas borrachinhas deixa sobretudo o visual do aparelho ortodôntico autoligado muito mais leve.

aparelho autoligado 7

Tratamento mais rápido

O papel do arco metálico é o mais importante no tratamento ortodôntico, porque é ele que exerce a pressão para movimentação dentária. O uso de borrachinhas no aparelho ortodôntico convencional para prender o arco metálico certamente produz um atrito entre esses dois materiais.

Só para ilustrar, imagine uma liga de borracha, dessas que prendem maço de dinheiros, sendo friccionada sobre um material metálico. Você vai perceber que o deslize não é tão suave, pois há um atrito entre eles.

Já se você fizer o mesmo com dois materiais metálicos, perceberá que o deslize é sem dúvida muito mais suave. Isso é o que acontece no aparelho ortodôntico autoligado. O arco metálico desliza com muito mais suavidade dentro dos bráquetes, sem o atrito de borrachas.

Essa liberdade de movimento auxilia para que o tratamento seja até 7 meses mais rápido com aparelho autoligado do que com aparelho convencional.

O aparelho autoligado é Mais higiênico

Um dos inconvenientes no tratamento ortodôntico com aparelhos convencionais, é que o cuidado com a higiene bucal se torna quase obsessivo. E não é exagero.

As borrachinhas tendem a reter resíduos de alimentos e acumular placa bacteriana se acaso não forem muito bem higienizadas, causando mau hálito, manchas ou até mesmo infecções. Mas esse já não é um grande problema com o aparelho autoligado, porque ele é muito mais fácil de ser higienizado pela ausência de borrachinhas.

Os aparelhos autoligados geram Menos visitas ao consultório

Um dos principais motivos que levam o paciente ao consultório dentário com tanta frequência para fazer manutenção do aparelho ortodôntico convencional é justamente a troca das borrachinhas.

Isso porque elas tendem a perder a propriedade elástica em pouco tempo e se não forem substituídas, pode tonar o tratamento mais demorado. O tratamento com aparelho ortodôntico autoligado não exige tantas visitas ao consultório, porque não possui borrachinhas.

O aparelho auto-ligado tem mais Conforto

Para o paciente, a maior liberdade na movimentação dos dentes com aparelhos ortodônticos autoligados certamente significa conforto e menos episódios de dores durante o tratamento. O aparelho autoligado exerce força mais leve e gradativa do que com aparelhos ortodônticos convencionais.

Menos Extrações dentárias são necessárias com aparelhos autoligados

Em muitos casos, o aparelho ortodôntico convencional exige extração de dentes com intuito de abrir espaço para movimentação dentária. Com aparelhos ortodônticos autoligados a necessidade de extrações é rara.

Modelos disponíveis de aparelhos ortodônticos autoligados

1 – Aparelho autoligado tipo estético – todos os bráquetes são feitos com material transparente.

aparelhos ortodonticos autoligados

2 – Aparelho autoligado tipo metálico – todos os bráquetes são metálicos, porém discretos por não necessitarem de borrachinhas para prender o fio.

aparelho autoligado 3

3 – Aparelho autoligado tipo estético-metálico(misto) – os bráquetes são transparentes na parte anterior e metálicos na parte posterior.

Leia mais sobre alinhadores transparentes

Conheça a Clínica ImplArt

A Clinica ImplArt é especialista em tratamentos ortodônticos. modernos. Acaba de receber a certificação Damon Smile Gold Provider 2014 concedido pela Empresa Ormco (EUA), fabricante dos aparelhos ortodônticos autoligados Damon System.

O prêmio se deve ao grande volume de tratamentos realizados em casos complexos de ortodontia e reabilitação oral com excelentes resultados. Deixe o seu sorriso mais bonito e alinhado! Agende uma consulta e então saiba se o seu caso pode ser beneficiado com esta moderna técnica dos aparelhos ortodônticos autoligados.

Endereço e Contatos da ImplArt, considerada como a melhor clínica de estética de dentes no Brasil.

Rua Cincinato Braga, 37 – cj 112

Bela Vista – São Paulo/SP – Região da Av. Paulista

11 3262-4750

Escanear o código